fbpx
PUBLICIDADE


Deputado do PSL transforma projeto ‘Dia da África’ em ‘Dia dos Estados Unidos’

Ato do deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL/RJ), o mais votado do Rio de Janeiro, foi um protesto contra o que seria o ‘costume’ da bancada do PSOL de emendar e destruir a essência de outros projetos de lei

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/ALERJ

O deputado estadual mais votado do Rio de Janeiro, Rodrigo Amorim (PSL), decidiu fazer um protesto inusitado contra a estridente bancada do PSOL na Assembleia Legislativa. É que, segundo ele, o partido tem o “costume de emendar projetos de lei de outros partidos” para acabar “com a essência” dos textos.

Para mostrar o quão irritante seria essa política, na última quinta-feira (29) o aliado de Bolsonaro propôs uma emenda em um projeto da deputada Renata Souza (PSOL) que visava instituir o Dia da África no calendário oficial do estado no dia 25 de maio.

Na mudança proposta pelo parlamentar, a região que deveria ser homenageada seria os Estados Unidos e a data da comemoração o dia 4 de julho. Com a alteração proposta, o projeto precisou voltar à Comissão de Constituição e Justiça. [1][2]


PUBLICIDADE



“Reconheço a importância do continente africano para o mundo, berço da humanidade, a influência em nossa cultura e formação de nosso povo, mas precisava dar uma lição no PSOL que insiste em utilizar o expediente da canalhice legislativa de emendar os projetos de lei, destruindo a essência do mesmo, ao invés de enfrenta-lo democraticamente no Plenário”, explicou-se Amorim nas redes sociais, frisando também que os Estados Unidos “é um país formado por negros e de figuras históricas na luta pelo povo negro, como Martin Luther King”. [3]

No Plenário, Renata Souza reclamou do ato e chamou a emenda de uma “richazinha imatura”. “Emendar, para constituir, ao invés do Dia de (sic) África, o Dia dos Estados Unidos, é lamentável. Por que o deputado que fez essa emenda não apresenta ele próprio o Dia dos Estados Unidos?”, reclamou, afirmando ainda que o ato de Amorim seria “racismo”.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.