fbpx
PUBLICIDADE

Personalidades saem em defesa de Constantino após bate-boca com deputado Eduardo Bolsonaro

Possível futuro embaixador do Brasil em Washington, nos EUA, Eduardo Bolsonaro subentendeu que Constantino esteve envolvido em escândalo financeiro dos anos 1990; Constantino afirma que era só estagiário
Rodrigo Constantino no "3 em 1" (Foto: Reprodução / Youtube)
Rodrigo Constantino no “3 em 1” (Foto: Reprodução / Youtube)

Um grupo de personalidades do meio liberal saiu em defesa do presidente do conselho deliberativo do Instituto Liberal, Rodrigo Constantino. É que, em debate nas redes sociais com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) neste domingo (1º), Constantino foi acusado de ser o responsável pelas projeções econômicas do banco FonteCindam, que ficou conhecido em 1999 após ser arrolado em um escândalo financeiro junto ao Banco Marka, de Salvatore Cacciola. [1]

Em resposta, Constantino afirmou que, em 1999, era apenas “estagiário de análise de empresas aos 23 anos” e criticou as colocações do parlamentar. “Eu, sinceramente, acho que o deputado Eduardo Bolsonaro precisa contratar melhores assessores. Alguns deles têm soprado ‘informações’ totalmente erradas, distorcidas e retiradas da Wikipedia, o que qualquer idiota pode fazer”, comentou o economista, prometendo que Eduardo poderia responder na Justiça pelas colocações.





Na sequência, Eduardo Bolsonaro afirmou que apenas havia feito uma pergunta e voltou a conectar Constantino a “Marka” e “Cacciola”. “Cadê a moral de quem vai no meu perfil quase diariamente falar asneiras? Agora vai lá, apele ao Estado para me censurar, liberal caviar”, afirmou o deputado, referindo-se ao posicionamento crítico de Constantino ao governo e também ao livro que o economista publicou pela editora Record, Esquerda Caviar (2013).

Atual presidente do Instituto Liberal, o jornalista Lucas Berlanza criticou o posicionamento de Eduardo. “A assessoria incompetente do deputado, para dizer o mínimo, o está transformando em um profissional de mentiras. É uma excelente credencial para ser embaixador”, ironizou. [2]

Quem também se manifestou em desagravo a Constantino foi o advogado Bernardo Santoro, ex-presidente do IL. “Minha manifestação é em defesa do meu amigo Rodrigo Constantino, que fora absurdamente atacado pelo deputado Eduardo Bolsonaro por ter sido estagiário de uma grande empresa pertencente a um banqueiro que depois ficou se sabendo um fraudador. Pouca gente tem como adivinhar se seu chefe é um fraude ou não, e sendo um mero estagiário isso é impossível”, escreveu. [3]

Santoro salientou ainda que Constantino “sempre foi um líder contra o PT numa época em que muitos que hoje estão acastelados no governo Bolsonaro mamavam nas tetas petistas” e que “qualquer crítica pontual que ele faça ao governo deveria ser visto como uma crítica construtiva”.  “Invencionices contra pessoas de bem está se tornando rotina dentro da direita. É um péssimo sinal”, concluiu.





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Siga o Boletim

Leia também