fbpx
PUBLICIDADE


Bolsonaro põe em dúvida liberdade de Glenn Greenwald e jornalista responde

Para justificar que portaria do ministro Sérgio Moro sobre deportação de estrangeiros não havia sido feita para o editor do site ‘The Intercept Brasil’, presidente afirmou que jornalista pode ‘pegar uma cana no Brasil’

- Publicado no dia
Glenn Greenwald (Foto: Reprodução/Flickr)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã deste sábado (27) no Rio de Janeiro que o jornalista Glenn Greewald, editor do site que divulgou originalmente diálogos vazados de procuradores da Operação Lava Jato, “pode pegar uma cana aqui no Brasil, não lá fora”. [1]

A declaração se deu após o presidente explicar que uma portaria editada pelo ministro Sérgio Moro na última quinta-feira (25) sobre deportação de estrangeiros não havia sido formulada pensando no jornalista, como acusa parte da oposição.


PUBLICIDADE



“Tem nada a ver com esse Glenn. Nem se encaixa na portaria o crime que ele está cometendo. Até porque ele é casado com outro homem e tem meninos adotados no Brasil. Malandro para evitar um problema desse, casa com outro malandro ou adota criança no Brasil. O Glenn não vai embora, pode ficar tranquilo”, disse. Glenn Greenwald, como se sabe, é casado com o deputado federal David Miranda (PSOL/RJ).

Outro lado

Nas redes sociais, o jornalista criticou a declaração. Disse que não saiu e não pretende sair do Brasil “apesar dessas ameaças” porque sabe “que não têm nada contra” ele. “Vou defender a democracia do país dos meus filhos”, disse. [2]

Glenn também ponderou que “ao contrário dos desejos de Bolsonaro, ele não é (ainda) um ditador” e, portanto, “não tem o poder de ordenar pessoas presas”. “Para prender alguém, tem que apresentar provas para um tribunal que eles cometeram um crime”, observou, complementando ainda que o presidente zombou do fato de ele ter adotado crianças ou mesmo casado por oportunismo.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.