fbpx
PUBLICIDADE


Bolsonaro defende extinção da Ancine se não puder filtrar projetos beneficiados

Influenciadores liberais consideram que o presidente não deveria aumentar controle estatal sobre seleção de filmes e que a melhor escolha é a extinção

- Publicado no dia
Bolsonaro em evento do Dia Nacional do Futebol, onde as palavras foram ditas (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (19) que pretende transferir a sede da Agência Nacional do Cinema para Brasília e que deseja que o Executivo possa impor restrições aos projetos beneficiados por ela. Caso isso não seja possível, o presidente defende a privatização ou extinção da agência. [1]

“Vai ter um filtro sim. Já que é um órgão federal, se não puder ter filtro, nós extinguiremos a Ancine. Privatizaremos, passarei ou extinguiremos”, ele afirmou, durante um evento em homenagem ao Dia Nacional do Futebol. Bolsonaro também disse não saber se a Ancine se manterá uma agência ou se tornará uma secretaria subordinada a algum ministério.

Bolsonaro questionou duramente o conteúdo de projetos audiovisuais fomentados pela Ancine, incluindo o que considera “filmes pornográficos”: “Temos tantos heróis no Brasil, e a gente não fala dos heróis do Brasil, não toca no assunto. Temos que perpetuar, fazer valer, dar valor a essas pessoas no passado deram sua vida, se empenharam para que o Brasil fosse independente lá atrás”, disse.

Influenciadores liberais nas redes sociais comentaram as declarações presidenciais, como o economista Rodrigo Constantino: “Então é mais um motivo para extinguir!”. Já a colunista do Boletim da Liberdade, Priscila Chammas, avaliou que Bolsonaro manterá o dinheiro público no cinema e irá “aumentar a interferência estatal”: [1]


PUBLICIDADE



★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.