fbpx
PUBLICIDADE

Marcelo Freixo defende Jair Bolsonaro: ‘não é possível responsabilizar o presidente’

Deputado afirmou que o caso das drogas encontradas em avião com sargento da Força Aérea é grave, mas não há nada que ligue diretamente o presidente da República ao problema
Marcelo Freixo (Foto: Divulgação / Facebook)

Marcelo Freixo (Foto: Divulgação / Facebook)

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) surpreendeu nesta quarta-feira (26) com uma manifestação em seu perfil no Twitter. Ele preferiu defender o presidente Jair Bolsonaro, seu antigo oponente político e ideológico, de possíveis  ataques precipitados por envolvimento no caso da cocaína encontrada em avião da Força Aérea. [1]

O parlamentar comentou que os adversários do governo não podem ser levianos. “O episódio é muito grave e precisa ser esclarecido, mas pode ser um caso isolado e não é possível responsabilizar o presidente”, pontuou.





O caso

O comentário de Freixo se refere ao episódio envolvendo o segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues. Ele já fez ao menos 34 viagens acompanhando autoridades brasileiras, sendo suas diárias pagas pela Presidência da República em 11 delas. Atuou, portanto, nos governos de Dilma Rousseff e Michel Temer.

O militar era comissário de bordo no voo da equipe de apoio à viagem do presidente Jair Bolsonaro – que não era o mesmo voo em que iria o presidente. O avião estava fazendo escala em Sevilha antes de ir ao Japão quando Rodrigues, que ficaria na cidade espanhola, foi flagrado por fiscais com 39 kg de cocaína.





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama