fbpx
PUBLICIDADE


Intercept: em novo vazamento, Moro aparece orientando MP a agir contra Lula

Blog independente ‘The Intercept’, do jornalista Glenn Greenwald, divulgou novo vazamento de conversas atribuídas a procuradores da Força-Tarefa da Operação Lava Jato e ao juiz Sérgio Moro

- Publicado no dia
O então juiz Sérgio Moro julgou em primeira instância o processo de corrupção contra o ex-presidente Lula (Foto: Reprodução / G1)

O blog The Intercept publicou na noite desta sexta-feira (14) mais um conjunto de diálogos supostamente extraídos do aplicativo de mensagens Telegram de procuradores da República. Desta vez, a reportagem destacou orientações do ex-juiz federal Sérgio Moro ao MPF após o primeiro depoimento de Lula em Curitiba, em 2017. [1]

“Talvez vocês devessem amanhã editar uma nota esclarecendo as contradições do depoimento [do ex-presidente Lula] com o resto das provas ou com o depoimento anterior dele. Porque a Defesa já fez o showzinho dela”, teria dito Moro ao procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, integrante da Força-Tarefa da Lava Jato que acusou Lula.


PUBLICIDADE



Na sequência, a sugestão de Sérgio Moro para acuar Lula é discutida em grupos internos do Ministério Público, tanto de procuradores como de assessores de imprensa. Ao fim, no dia seguinte, o MPF divulga nota que aponta contradições do depoimento do ex-presidente.

Sérgio Moro (Foto: Marcello Casal Jr. /Agência Brasil)

Desta vez, o The Intercept procurou as partes citadas nos supostos diálogos, mas elas teriam preferido não emitir um comentário.

“O Ministro da Justiça e Segurança Pública não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas, especialmente sem análise prévia de autoridade independente que possa certificar a sua integridade. No caso em questão, as supostas mensagens nem sequer foram enviadas previamente”, teria respondido a assessoria de Sérgio Moro.

Segundo a reportagem, as conversas são “mais uma evidência de que Moro atuava como uma espécie de coordenador informal da acusação no processo do triplex”. Até agora, a principal linha da crítica das reportagens já divulgadas referem-se à possibilidade de o juiz não ter agido de modo imparcial, como deveria pela função.

Confira a íntegra da matéria do The Intercept clicando aqui.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.