fbpx
PUBLICIDADE


Romeu Zema, do NOVO, decreta fim de mansão em BH para governadores

Residente de Araxá, cidade situada a cinco horas de Belo Horizonte, primeiro governador da história do Partido Novo decidiu alugar imóvel próximo à Cidade Administrativa, sede do governo estadual

- Publicado no dia
O governador eleito Romeu Zema e, ao fundo, Paulo Brant, vice-governador eleito de Minas Gerais (Foto: Reprodução/Facebook)

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (NOVO), decretou na última quarta-feira (5) a extinção da condição especial que permitia que o Palácio das Mangabeiras fosse a residência oficial dos governadores do estado. [1][2]

A medida já vinha sendo defendida por Zema desde a campanha eleitoral. Residente em Araxá, cidade situada há cinco horas de Belo Horizonte, o governador decidiu alugar um imóvel próximo à Cidade Administrativa do Governo de Minas Gerais, onde despacha.

O Palácio das Mangabeiras foi inaugurado em 1955 a pedido do então governador Juscelino Kubitschek. O projeto original é de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer, tendo jardins planejados por Burle Marx. A mansão também conta com uma vistosa piscina. [3][4]


PUBLICIDADE



Nas redes sociais, o Partido Novo destacou a medida e afirmou que “políticos não devem morar em palácios”. A legenda salientou ainda que o palácio poderá ser utilizado para “sediar eventos e gerar receita para Minas”. A agremiação não mencionou, contudo, a possibilidade de privatização do imóvel. [5]

Ex-candidato à presidência da República e atual presidente do NOVO, João Amoêdo também pronunciou-se sobre o assunto. Ele, que em 2018 afirmou que, se eleito, não moraria no Palácio da Alvorada, disse que a medida de Zema visava “reduzir privilégios, colocar as contas em dia e o cidadão em primeiro lugar”. [6]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.