fbpx
PUBLICIDADE


Refugiados denunciam presença de inteligência venezuelana no Brasil

SEBIN chegou a receber treinamentos do serviço de inteligência de Cuba e, agora, surgem relatos de que seus agentes circulam em países como Brasil e Colômbia, aterrorizando militares e líderes políticos refugiados

- Publicado no dia
Nicolás Maduro (Foto: Reprodução / Diário do Acionista)

Refugiados venezuelanos no Brasil estão denunciando a presença de agentes do ditador Nicolás Maduro em território brasileiro. A informação foi publicada originalmente nesta segunda-feira (3) pelo jornal O Globo. [1]

Segundo a publicação, a atuação dos homens do Serviço Bolivariano de Inteligência (SEBIN) estaria ainda concentrada no estado de Roraima e visando a perseguição dos principais refugiados, como líderes políticos e militares desertores.


PUBLICIDADE



“São pessoas que andam com roupas normais, não estão uniformizadas”, alertou um dos entrevistados.

A publicação procurou ouvir fontes do governo brasileiro, que teriam afirmado desconhecer a situação.

A atuação internacional dos agentes da SEBIN, contudo, não estaria restrita ao Brasil. Na Colômbia, que recebe a maior parte dos desertores militares, denúncias similares já estão ocorrendo, inclusive com tentativas de sequestro relatadas.

O SEBIN

Na Venezuela, o SEBIN é conhecido por ser uma das instituições mais fiés ao ditador Nicolás Maduro. A agência de inteligência foi criada por Hugo Chávez e ficou reconhecida pela truculência no modo como reprimem os opositores e pela forte associação com o regime cubano.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.