fbpx
PUBLICIDADE

Kim: manifestações pró-Bolsonaro tendem a ser menores do que os atos da esquerda

Uma das principais lideranças do Movimento Brasil Livre, que protagonizou os protestos pela saída da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Kim Kataguiri não aderiu aos atos do dia 26
Kim Kataguiri discursa em plenário (Foto: Divulgação/DEM)
Kim Kataguiri discursa em plenário (Foto: Divulgação/DEM)
PUBLICIDADE

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP), em entrevista ao site Crusoé, voltou a criticar a articulação do governo Jair Bolsonaro e as manifestações de bolsonaristas previstas para o próximo domingo (26). Segundo ele, a “tendência é de que sejam menores do que as manifestações de esquerda [contra o contingenciamento de recursos da educação]”, realizadas no dia 15. [1]

PUBLICIDADE

Para o parlamentar, é provável que a ideia dos atos tenha partido do próprio Palácio do Planalto (embora reconheça que seja apenas uma opinião, não algo confirmado) e avaliou que os atos têm, em natureza, a ideia de defender o governo, apesar de ter também outras pautas.

Perguntado sobre a opinião que tem das manifestações previstas, o parlamentar considerou que tratam-se de um “atestado de que o governo falhou” e que “em nenhuma hipótese essa manifestação vai ter boas consequências”.

PUBLICIDADE

No último dia 15, houve atos em mais de 170 cidades pelo país contra a redução de recursos da educação; na foto, ato da Avenida Paulista, em São Paulo (Foto: O Globo)

“Se ela for muito bem, vai gerar a ira do Congresso e do STF porque os discursos vão ser acirrados. Se for mal, o presidente vai perder poder para o Parlamento e a oposição ganha discurso”, disse.

Na entrevista, Kim avaliou que o governo acaba comprometendo “pautas boas e bem elaboradas da agenda econômica” com uma condução política “desastrosa e com intrigas internas”. Segundo ele, a crise “já passou do ponto de tensão” e que é difícil consertar agora.

“Ou a gente tem um parlamentarismo branco em que o presidente vira uma rainha da Inglaterra ou a gente passa por um processo de impeachment, dependendo da votação do crédito suplementar”, concluiu. Em 2017, Kim Kataguiri previu que Bolsonaro sofreria um impeachment em três meses.

Editado em 25/05, às 19h18: O Boletim havia citado equivocadamente em seu título o comentário do deputado Kim Kataguiri, mencionando que ele havia afirmado de forma taxativa que as manifestações do próximo dia 26 serão menores que as do último dia 15, quando em verdade o parlamentar apenas ponderou que essa seria a tendência. Retificamos e pedimos sinceras desculpas a ele pela falha.

PUBLICIDADE

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama