fbpx
PUBLICIDADE


Deputado do PSL propõe tirar Paulo Freire como patrono da educação do Brasil

O parlamentar do partido de Jair Bolsonaro quer substituir o pedagogo e pensador Paulo Freire por um dos fundadores da cidade de São Paulo

- Publicado no dia
Carlos Jordy (Foto: Reprodução / Facebook)

O deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ) apresentou nesta quarta-feira (22) um projeto de Lei que contempla um antigo desejo de grupos liberais e conservadores: a substituição do pedagogo Paulo Freire como patrono da Educação. O projeto já contempla o nome do substituto.

O PL 3033/2019, se aprovado, instituirá São José de Anchieta como patrono da educação no Brasil. Segundo a justificativa do autor, “a alteração do símbolo da educação como meio de iniciar as mudanças necessárias é fundamental para o combate cultural de idolatria a pessoas, que, de fato, em nada contribuíram positivamente para a educação e, também, como meio de homenagear quem realmente merece”.


PUBLICIDADE



São José de Anchieta, nascido na Espanha em 1534 e falecido em 1597, foi um padre jesuíta. Chegou ao Brasil em 1553 e foi pioneiro nos estudos das línguas indígenas, sendo autor da primeira gramática de uma língua do tronco tupi, Arte da Gramática da Língua Mais Falada do Brasil, publicada em 1595.

Além dos estudos das línguas nativas, o padre espanhol se dedicou ao catecismo e ao ensino do latim aos habitantes do então território ultramarino português. Em 1554, em conjunto com outros padres jesuítas, participou da fundação do Colégio de São Paulo de Piratininga, embrião da cidade de São Paulo. De acordo com Jordy, sua escolha se justifica pelo seu papel “como precursor da educação em nosso país” e “seu rico trabalho literário e cultural”.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.