fbpx
PUBLICIDADE


João Amoêdo sobre atos do dia 26: ‘Não participarei das manifestações’

Fundador do Partido Novo e candidato a presidente em 2018, Amoêdo disse ao Boletim da Liberdade que atos “têm pautas difusas”; NOVO, por sua vez, liberou filiados para que possam decidir individualmente

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / Folha de S. Paulo)

Primeiro candidato a presidente da República pelo Partido Novo, partido do qual foi fundador e voltou a ser presidente, João Amoêdo declarou nesta terça-feira (21) ao Boletim da Liberdade que não participará dos atos previstos para o próximo domingo (26).

“Não participarei das manifestações. O movimento marcado para o dia 26 tem pautas difusas e tenta passar a ideia de que a dificuldade do governo para aprovar as reformas é responsabilidade integral de outros atores. Não compartilho dessa avaliação”, afirmou.


PUBLICIDADE



Para Amoêdo, o governo já obteve a devida legitimidade popular nas eleições e, portanto, deve concentrar os esforços agora em outras frentes:

“As dificuldades existem, mas o governo já recebeu o apoio popular nas urnas e cabe a ele agora atuar com equilíbrio, senso de prioridade e dialogar para implementar as mudanças necessárias para o país”, concluiu.

Partido Novo libera filiados

O Partido Novo por sua vez, decidiu liberar os filiados para que decidam, individualmente, sobre participar ou não dos atos. Em nota, a legenda afirma que “em manifestações com pautas diversas e sem um objetivo claro, o NOVO entende que cabe ao cidadão decidir quanto a participação, e não ao partido como instituição”.

A agremiação também reforçou que, apesar de não ter tomado posição institucional de endosso aos atos, “apoia a reforma da Previdência, o combate rigoroso à corrupção e uma reforma administrativa que corte privilégios e aumente a eficiência do Estado”.

“Acreditamos que o diálogo entre os poderes e o fortalecimento das instituições é o melhor caminho para implementarmos as mudanças que o Brasil precisa. É assim que os mandatários do NOVO têm atuado diariamente”, diz o texto.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.