fbpx
PUBLICIDADE

Paulo Guedes pede a Joaquim Levy para ‘despedalar’ o BNDES

O Ministro da Economia mandou um recado direto ao presidente da instituição, brincando com a expressão que se popularizou em referência ao "crime de responsabilidade" de Dilma Rousseff
(Foto: Reprodução/NBR)

(Foto: Reprodução/NBR)

O ministro da Economia Paulo Guedes brincou nesta sexta-feira (10) com a expressão “pedalada fiscal” empregada para explicar o crime de responsabilidade por que a ex-presidente Dilma Rousseff sofreu impeachment. Segundo ele, “se pedalaram o BNDES, temos que despedalar”. [1]

Em palestra no 31º Fórum Nacional, o ministro defendeu que o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social devolva dinheiro da União e passe a se concentrar no fomento a setores específicos de implicações sociais imediatas, bem como contribua com a reestruturação de estados e municípios. A meta é alterar drasticamente o que ficou conhecido como “política dos campeões nacionais”.





“Não é razoável um sujeito em Brasília criar a maior fábrica de proteína do mundo. Quem escolhe os campeões?”, questionou, acrescentando que “temos que devolver capital à União”. O recado foi dado com o presidente do BNDES, o também economista Joaquim Levy, ao lado.

A reforma do pacto federativo, que Guedes associa à remodelação do papel do BNDES, será, na sua avaliação, realizada sem dificuldade, porque já conta com o apoio de governadores e prefeitos. O projeto, porém, está previsto para ser levado adiante apenas após a confirmação da reforma da Previdência.





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama