fbpx
PUBLICIDADE


Paulo Guedes pede a Joaquim Levy para ‘despedalar’ o BNDES

O Ministro da Economia mandou um recado direto ao presidente da instituição, brincando com a expressão que se popularizou em referência ao “crime de responsabilidade” de Dilma Rousseff

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução/NBR)

O ministro da Economia Paulo Guedes brincou nesta sexta-feira (10) com a expressão “pedalada fiscal” empregada para explicar o crime de responsabilidade por que a ex-presidente Dilma Rousseff sofreu impeachment. Segundo ele, “se pedalaram o BNDES, temos que despedalar”. [1]

Em palestra no 31º Fórum Nacional, o ministro defendeu que o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social devolva dinheiro da União e passe a se concentrar no fomento a setores específicos de implicações sociais imediatas, bem como contribua com a reestruturação de estados e municípios. A meta é alterar drasticamente o que ficou conhecido como “política dos campeões nacionais”.


PUBLICIDADE



“Não é razoável um sujeito em Brasília criar a maior fábrica de proteína do mundo. Quem escolhe os campeões?”, questionou, acrescentando que “temos que devolver capital à União”. O recado foi dado com o presidente do BNDES, o também economista Joaquim Levy, ao lado.

A reforma do pacto federativo, que Guedes associa à remodelação do papel do BNDES, será, na sua avaliação, realizada sem dificuldade, porque já conta com o apoio de governadores e prefeitos. O projeto, porém, está previsto para ser levado adiante apenas após a confirmação da reforma da Previdência.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.