PUBLICIDADE


Onyx pediu a NOVO e PSL aprovação de reforma que tira Coaf de Moro, diz site

O ministro da Casa Civil considera que as alterações feitas pela comissão, alvos de críticas, são preço a pagar para conseguir a aprovação

- Publicado no dia
(Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

A medida provisória da reforma administrativa teve aprovado um parecer na sua comissão mista nesta quinta-feira (9) determinando a retirada do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) das mãos do ministério de Sérgio Moro e sua ida para o Ministério da Economia. O detalhe que chama a atenção é que, segundo o site O Antagonista, o ministro-chefe da Casa Civil pediu a aliados das reformas do governo para aceitar essa decisão. [1]

De acordo com o veículo, Onyx Lorenzoni entrou em contato com o Partido Social Liberal e o Partido Novo solicitando que acolhessem no Plenário a MP exatamente como está. Ao mesmo site, Onyx se justificou: “Havia a disposição para que o texto fosse aprovado hoje ainda no plenário e enviado ao Senado. Por isso, pedi para que deixassem passar.”


PUBLICIDADE



Também segundo Onyx, “com muito diálogo, garantimos 95% da reforma administrativa. Perdemos um ponto aqui, outro acolá. O Parlamento tem o direito de fazer as modificações que achar pertinentes. Fizemos tudo o que podíamos.” O parlamentar considera que a perda de poderes de Moro sobre o Coaf e a proibição de que auditores fiscais compartilhem indícios de crimes diretamente com o Ministério Público Federal são preços a pagar para a obtenção da reforma.

A MP 870/2019 reorganiza a disposição de ministérios e transfere órgãos. Ainda segundo o site, os dois partidos contatados por Onyx não pretendem atender ao pedido. As lideranças do Partido Novo e do PSL foram procuradas pelo Boletim para comentar a notícia. O PSL não se manifestou até o fechamento desta publicação e o NOVO informou que prefere não comentar.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Leia também:  A polêmica do auxílio-moradia e outros projetos: Boletim conversa com o deputado Alexis Fonteyne, do NOVO
Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.