fbpx
PUBLICIDADE


Grupo de Lima volta a se reunir para pressionar ditadura venezuelana

Grupo de Lima volta a reunir com a presença dos doze países participantes além da presença norte americana e demais observadores para tratar sobre ajuda humanitária na Venezuela

- Publicado no dia
Embaixador Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

A pedido do presidente do Chile, Sebastian Piñera, o Grupo de Lima – entidade formada por representantes de países americanos contra Nicolás Maduro – está reunido nesta segunda-feira (15) para debater maneiras de continuar a asfixia política e econômica sobre o regime venezuelano.

A reunião, que ocorre em Santiago, no Chile, foi aberta pelo próprio presidente chileno, que afirmou que era preciso “dar passos adicionais” à política adotada até então de crítica ao regime.

“[Devemos] fazer tudo possível para entrar a ajuda humanitária. Esse é um tema literalmente de vida ou morte para os venezuelanos”, enfatizou.


PUBLICIDADE



O Brasil está representado na reunião pelo chanceler Ernesto Araújo, que desde que assumiu não passou a adotar uma postura mais crítica do Brasil para com o regime de Maduro.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.