fbpx
PUBLICIDADE


Fernando Haddad conclama união de forças de esquerda e forças liberais

Em estreia de canal comandado por ex-políticos apoiadores de Lula no Youtube, o candidado do PT à presidência em 2018 apontou riscos do governo atual à democracia e aos “direitos sociais”

- Publicado no dia
Entrevista no canal “À Esquerda” (Foto: Reprodução / Facebook)

Lindbergh Farias e Vanessa Grazziotin, egressos, respectivamente, do PT e do PCdoB, estão sem mandato e aproveitaram essa situação para inaugurar um canal no Youtube, com o sugestivo nome “À Esquerda”. Na estreia, o entrevistado foi o ex-ministro e adversário do presidente Jair Bolsonaro nas eleições de 2018, Fernando Haddad, na última segunda-feira (1), que disse que todos os democratas, inclusive os liberais, devem se unir contra o governo.

“Ele (Bolsonaro) representa uma ameaça ainda maior ao que foi acordado ainda em 88”, disse Haddad, referindo-se à Constituição de 1988, que reconhece direitos que, segundo o ex-prefeito de São Paulo, estão sendo combatidos em diversos aspectos pela gestão atual. Haddad chega a comentar que os petistas achavam a Constituição “aquém do que o Brasil precisava, mas com tudo isso, abraçamos a carta constitucional”, uma forma comedida de recordar a oposição que o PT fez ao texto na época.


PUBLICIDADE



Haddad diz que os governos petistas buscaram respeitar a Carta Magna e promover “inclusão social com desenvolvimento econômico”. Já o governo Bolsonaro é o maior perigo contra essas conquistas. “Nós vamos reunir as forças democráticas do país, socialistas, trabalhistas, liberais, mas que tenham compromisso com as liberdades e com uma melhor distribuição de renda, uma melhor distribuição das oportunidades”, argumentou. [1]

Na mesma entrevista, Haddad afirmou que a educação é o maior alvo de Jair Bolsonaro, porque o presidente “tem medo da educação” e dos estudantes. Ele enfatizou ainda que o ex-presidente Lula, para ele, é “como se fosse da família”.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.