fbpx
PUBLICIDADE


‘O Brasil e os Estados Unidos nunca estiveram tão próximos como agora’, diz Trump ao lado de Bolsonaro

Jair Bolsonaro e Donald Trump se encontraram pela primeira vez nesta terça-feira (19) em visita oficial do presidente brasileiro aos Estados Unidos e concederam coletiva de imprensa em conjunto

- Publicado no dia
Bolsonaro e Donald Trump dão coletiva de imprensa na Casa Branca, em Washington (Foto: Reprodução/GloboNews)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, se encontraram pela primeira vez no início da tarde desta terça-feira (19) na Casa Branca, em Washington.

Em sua fala inicial, Trump afirmou que o Brasil “é um grande amigo” e que, pelo relacionamento que tem com Bolsonaro, “Brasil e os Estados Unidos nunca estiveram tão próximos como agora”, chamando as afinidades como prenúncio de uma “grande aliança”.


PUBLICIDADE



Bolsonaro, por sua vez, afirmou que é “uma satisfação estar nos EUA após algumas décadas de o Brasil ter presidentes anti-americanos” e que acredita que ambos os presidentes “terão muito a oferecer”.

“O Donald Trump quer uma América grande e eu também quero um Brasil grande. A partir desse momento, o Brasil estará mais do que nunca engajado com nossos Estados Unidos”, disse o brasileiro.


PUBLICIDADE



Cooperação entre os países

Jornalistas puderam fazzer perguntas aos chefes de estado durante a coletiva. Trump respondeu que, em contrapartida a medidas do Brasil em favor dos Estados Unidos (como o acordo envolvendo a Base de Alcântara e a liberação de vistos para americanos), estão sendo trabalhadas “questões militares e questões de vistos”, sem especificar.

O presidente norte-americano também afirmou que defende a entrada do Brasil na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), medida defendida pelo ministro Paulo Guedes, e não descartou a possibilidade de contar com o país em caso de intervenção militar na Venezuela.

“Todas as opções estão sobre a mesa”, afirmou o presidente norte-americano, complementando depois, contudo, que ainda não houve conversa nesse sentido entre os países durante a visita oficial.

Ao fim da coletiva, ambos os presidentes trocaram camisas das seleções brasileiras e norte-americanas de futebol e relembraram o legado de Pelé.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.