fbpx
PUBLICIDADE


Contra a reforma, PSOL deve quase R$ 100 mil para a Previdência Social

Entre os partidos de maior visibilidade na mídia tradicional, o nanico PSOL é um dos mais ferrenhos críticos à reforma da Previdência e repercute como argumento que governo deveria primeiro cobrar os devedores

- Publicado no dia
Guilherme Boulos: falas pausadas, olhos arregalados e eloquência não foram suficientes para lhe fazer chegar a 1% dos votos (Foto: Reprodução/Facebook)

De pequena expressividade no Congresso Nacional (com apenas 10 deputados federais na Câmara), mas de grande reverberação na mídia, o PSOL é um dos principais partidos críticos à reforma da Previdência. Curiosamente, contudo, a legenda aparece mais de uma vez no rol de devedores da Previdência Social, de acordo com dados públicos divulgados pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. [1][2]

De acordo com a apuração do Boletim da Liberdade com base no sistema de pesquisa da PGFN, são quase R$ 94 mil devidos nessa área por diferentes diretórios. [3]

Somando essa importância a outras dívidas tributárias e com quantias devidas ao Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS), a agremiação deve cerca de R$ 471 mil. Um valor significativo e especialmente simbólico vindo de um partido que não costuma poupar críticas aos devedores do Estado – e faz desse um argumento-chave contra reformas econômicas essenciais para o país.

Dados de devedores da Previdência consultados no dia 01/03/2019 do site da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (Foto: Editoria de Arte)

Na última quarta-feira (26), a página do Facebook do partido, por exemplo, divulgou um vídeo de Guilherme Boulos, ex-candidato à presidência da República da legenda e líder de movimento social, falando de “5 absurdos da Reforma (sic) da Previdência”. [4]

“Por que o governo não cobra a dívida das grandes empresas com a Previdência Social? Muitas dessas empresas nós conhecemos. É o Bradesco, o Itaú, a Vale, a JBS. Por que ao invés de cobrar do aposentado pobre, não vai cobrar o que essas empresas devem ao Brasil?”, diz um Boulos com olhos arregalados, mãos firmes e falas pausadas, características que foram alvo de imitações da corrida eleitoral – quando não atingiu sequer 1% dos votos.


PUBLICIDADE



Em seguida, o texto da publicação sugere aos seguidores do partido que assinem um abaixo-assinado. Nele, uma frente política denominada “Povo Sem Medo” critica os devedores da Previdência. A entidade é uma espécie de frente ampla de extrema-esquerda que considera que o impeachment de Dilma Rousseff foi um golpe, apesar de ter seguido a Constituição à risca e contar com o endosso da população e de juristas. [5]

Petição Pública assinada por frente de extrema-esquerda diz que governo deveria cobrar os devedores da Previdência. Nenhuma menção ao PSOL (Foto: Reprodução)

“A proposta de Reforma da Previdência apresentada pelo Governo Bolsonaro comete uma série de injustiças contra o povo trabalhador. Além de não enfrentar os privilégios, não ataca as dívidas brutais de grandes empresas e bancos com a previdência social”, abre o texto, sem mencionar que o PSOL e outras agremiações de esquerda também estão entre as devedoras da Previdência. Em outras palavras: “Falem o que eu digo, não falem o que eu faço”.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.