fbpx
PUBLICIDADE


Bolsonaro sinaliza que pode rever idade mínima para mulheres na reforma

Os comentários do presidente foram feitos em café da manhã com jornalistas nesta quinta-feira; Bolsonaro também admitiu mexer nas propostas para benefícios e pensões

- Publicado no dia
Jair Bolsonaro (Wilson Dias / Agência Brasil)

Uma declaração do presidente Jair Bolsonaro em encontro com jornalistas nesta quinta-feira (28), segundo o InfoMoney, pode estar por trás de uma queda de quase 2% no índice do Ibovespa. Ele sinalizou que pode modificar a idade mínima para aposentadoria de mulheres constante da proposta de Reforma da Previdência de seu ministro da Economia, Paulo Guedes. [1] [2]

“Eu acho que dá para cortar um pouco de gordura e chegar a um bom termo, o que não pode é continuar como está “, disse o presidente em café da manhã com a imprensa. Bolsonaro se referiu objetivamente a dois pontos que estaria disposto a negociar: baixar a idade mínima de aposentadoria de mulheres de 62 para 60 anos e fazer concessões ao Benefício de Prestação Continuada, pago a idosos e deficientes de baixa renda, e na porcentagem de pensão por morte.


PUBLICIDADE



Bolsonaro declarou, no entanto, que a essência do projeto deve ser preservada e sem ela o país enfrentará a alta do dólar, a queda da Bolsa de Valores, a suspensão de pagamento de servidores e o enfraquecimento do governo. O objetivo, segundo ele, é que o Brasil não passe pelas mesmas dificuldades da Grécia.

Infelizmente para Bolsonaro, o Ibovespa caiu 1,84% às 12h54, horário de Brasília, após a conversa com os jornalistas. As declarações não são a única causa. Os números também são influenciados pela queda nas ações da Petrobras, da Ambev e dos papeis da Vale e pelo término abrupto das reuniões entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, o que impactou as bolsas internacionais.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.