PUBLICIDADE


PSOL publica nota em favor da ‘soberania da Venezuela’ e contra ‘golpe imperialista’

Partido de esquerda conclamou outros movimentos socialistas a se colocaram contra a instauração do ‘neoliberalismo’ no país; Livres e Movimento Brasil Livre reagem

- Publicado no dia
Nicolás Maduro (Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

O PSOL divulgou na noite deste sábado (24) uma nota em favor da “soberania” da Venezuela, sob o regime de Maduro, e de conclamação às “organizações de esquerda e movimentos sociais” para auxiliarem o país a resistir ao “golpe imperialista”. [1]

O partido afirmou que o governo brasileiro tem feito “provocações” na fronteira da Venezuela e que é contrário à interferência do governo Bolsonaro no assunto.

O texto diz ainda que a legenda se põe contra a “qualquer ingerência externa nos assuntos da Venezuela”, com citações diretas aos Estados Unidos “e seus sócios”.


PUBLICIDADE



“O verdadeiro interesse dos EUA em consonância com a oposição de direita é se apropriar das riquezas da Venezuela e restaurar o neoliberalismo no país, impondo uma dura derrota, sangrenta se necessária, à luta do povo venezuelano que insiste em decidir seu próprio destino”, afirma a nota, com sua narrativa política sobre os acontecimentos no país vizinho.

O PSOL questionou ainda o caráter humanitário das ações feitas por estrangeiros no país e afirmou que Brasil e a Colômbia atuam como “fantoches” do governo americano, que estaria interessado nas ricas reservas de petróleo venezuelanas.

A nota do partido, que guarda consigo o lema “socialismo e liberdade”, não citou episódios de autoritarismo e supressão de liberdades civis, entre as quais de manifestações, do governo Nicolás Maduro contra seus próprios cidadãos e opositores políticos.

Reações

O movimento suprapartidário de viés liberal “Livres” criticou a nota do PSOL. Segundo o movimento, “no século 21, o socialismo segue sendo, na prática, o que sempre foi: morte, tortura e insanidade”. [2]

“Democratas sinceros têm o dever cívico de repudiar essa asquerosa defesa que PT e PSOL fazem da ditadura Maduro, que tortura e mata. Cúmplices da exploração da miséria dos nossos irmãos venezuelanos, esses partidos estão cuspindo nos valores sagrados de liberdade e democracia”, afirmou o Livres.

Leia também:  De olho no mercado de documentários, Livres lançará filme sobre Plano Real

Quem também se manifestou sobre o assunto foi o Movimento Brasil Livre (MBL). A agremiação afirmou que o PSOL mostrou “novamente que tipo de ‘liberdade’ defende: a dos ditadores e cleptocratas”. [3]

O MBL também publicou uma arte em suas redes sociais com fotos dos petistas Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff, Gleise Hoffmann e Fernando Haddad. “Traidores: o Brasil não pode esquecer jamais que eles apoiaram e financiaram o massacre do povo venezuelano”. [4]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.