fbpx
PUBLICIDADE


Governo Bolsonaro deveria ouvir organizações liberais, diz presidente de fundação americana

O presidente da Foundation for Economic Education, Lawrence Reed, comentou também a situação na Venezuela e a saída dos britânicos da União Europeia

- Publicado no dia
Lawrence Reed (Foto: Reprodução / Facebook)

O presidente da Foundation for Economic Education, Lawrence Reed, concedeu entrevista à revista Crusoé nesta sexta-feira (15), republicada no site da instituição, em que abordou o ambiente político da América Latina. Na entrevista, ele mencionou uma série de instituições e movimentos liberais, alguns membros da Rede Liberdade, a que o governo Bolsonaro deveria, em sua opinião, dar ouvidos. [1]

Boa parte da entrevista foi dedicada a comentar a situação da Venezuela de Nicolás Maduro. Reed pontuou que os governos chavistas confiscaram propriedades e colocaram burocratas e generais no controle delas, impondo uma série de regulações e imprimindo bastante papel-moeda, o que o economista austríaco Ludwig von Mises chamou de “caos planejado”. Afirmou também que Maduro segue no poder por controlar armas e recursos, decidir quem se alimenta e ter o apoio de militares que sabem que responderão por seus crimes se a ditadura for derrotada.

Ele também abordou o governo Trump, que considera uma mistura de qualidades e defeitos em matéria de liberalismo e intervencionismo, e o Brexit, garantindo que a falecida premiê britânica Margatet Thatcher estava certa quanto à inviabilidade da União Europeia. Sobre Jair Bolsonaro, Reed afirmou que tem expectativas positivas, mas o que determinará o sucesso de sua administração será a dimensão da redução do estado que conseguir obter.

Ele comentou que o presidente deveria ouvir entidades, instituições e movimentos liberais e libertários que vêm atuando no Brasil, muitos deles vinculados à Rede Liberdade. O motivo para isso seria que as mudanças políticas precisam ser acompanhas por uma mudança cultural e esses grupos – e outros que Lawrence Reed não nomeia – estariam fazendo “um grande trabalho para educar para a liberdade”.


PUBLICIDADE



As instituições e grupos mencionados

Reed recomendou a Bolsonaro que desse ouvidos ao Instituto Mises Brasil e ao Objetivismo Brasil em São Paulo; aos Institutos de Formação de Líderes nas diversas cidades; ao Instituto Liberal, ao Livres e o Instituto Millenium, no Rio de Janeiro; ao Instituto Atlantos, o Instituto de Estudos Empresariais e o Instituto Liberdade em Porto Alegre; ao Clube Farroupilha em Santa Maria; ao Líderes do Amanhã e o Grupo Domingos Martins em Vitória; ao Instituto Liberdade e Justiça em Goiânia; ao Grupo de Estudos Dragão do Mar em Fortaleza; ao Instituto Antônio Lacerda em Salvador; e ao Centro de Liberdade Econômica da Universidade Presbiteriana Mackenzie, também em São Paulo.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.