fbpx
PUBLICIDADE


Constantino: caso EBC ajuda a identificar ‘independentes, isentões e minions’

Presidente do conselho deliberativo do Instituto Liberal, Rodrigo Constantino criticou possível recuo na privatização ou extinção da TV Brasil; segundo o economista, é uma quebra de promessa de campanha

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / Facebook)

O economista Rodrigo Constantino, presidente do conselho deliberativo do Instituto Liberal e que mantém um blog hospedado no site Gazeta do Povo, afirmou em artigo nesta sexta-feira (8) que as reações de um possível recuo na extinção da TV Brasil ajudarão a melhor identificar os grupos que apoiam o governo Bolsonaro.

Segundo ele, o posicionamento do presidente sobre acabar com a emissora pública, pertencente à Empresa Brasil de Comunicação (EBC), mudou após a eleição. Essa decisão, que seria “equivocada” e contraditória com a promessa de campanha, receberá para Constantuno reações distintas dos grupos independentes (entre os quais, os liberais), os “isentões” (que teriam um perfil mais pragmático) e os “minions” – nome pejorativo aos seguidores “fanáticos” do presidente.


PUBLICIDADE



“A TV Lula também é conhecida como TV Traço, ou seja, não tem audiência. Mantê-la não é perigoso por questões de doutrinação ideológica, já que ninguém assiste o troço. O ponto é outro: serve como instrumento para bancar a militância, que atua em outros canais. Bolsonaro tem militância voluntária, mas como agora é poder, muitos poderão apresentar a fatura, ou trabalhar em dobro se passarem a receber por isso. Se eram chatos nas redes sociais de graça, imagina recebendo uma bolada da estatal?”, disse.

Para Constantino, “a vitória de Bolsonaro representa uma guinada à direita, e ‘despetizar’ o estado é uma meta louvável”.

“Mas não para aparelhar com ‘minions’ em seu lugar! Isso é simplesmente absurdo e inaceitável. Quem aplaude a manutenção da EBC como estatal, e talvez esteja de olho num cargo na TV Brasil, demonstra ser inimigo do Brasil, ao menos de um país republicano, sério e livre”, concluiu.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

 

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.