fbpx
PUBLICIDADE

Sítio de Atibaia: Lula é condenado por corrupção e lavagem de dinheiro

Juíza Gabriela Hardt condenou Lula a 12 anos e 11 meses pelo processo do sítio de Atibaia; magistrada afirmou que Lula 'recebeu vantagem indevida em decorrência do cargo de Presidente da República'
(Foto: Reprodução / Uol)

(Foto: Reprodução / Uol)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sofreu, na tarde desta quarta-feira (6), mais uma condenação. A juíza federal Gabriela Hardt, que assumiu a 13ª vara federal de Curitiba após a saída de Sérgio Moro, condenou Lula a 12 anos e 11 meses pelo processo do sítio de Atibaia.

“A culpabilidade é elevada. O condenado recebeu vantagem indevida em decorrência do cargo de Presidente da República, de quem se exige um comportamento exemplar enquanto maior mandatário da República”, escreveu a juíza, na condenação, que teve 360 páginas ao todo.

Segundo a sentença, a “prática do crime corrupção só nos quatro contratos citados na denúncia envolveu a destinação” de pouco mais de R$ 84,4 milhões.





“O custo da propina foi repassado à Petrobrás, através da cobrança de preço superior à estimativa”, explica Hardt, afirmando ainda que Lula praticou o crime “em um esquema criminoso mais amplo no qual o pagamento de propinas havia se tornado rotina”.

Segundo a juíza, o “esquema de corrupção sistêmica criado tinha por objetivo também, de forma espúria, garantir a governabilidade e a manutenção do partido no poder”.

Além da corrupção, Lula foi condenado por lavagem de dinheiro em reformas feitas pelas empreiteiras Odebrecht e OAS no sítio de Atibaia.





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama