PUBLICIDADE


Ao lado de Kim, Senador que enfrentou Renan o chama de ‘câncer da política’

David Alcolumbre presidiu interinamente sessão no Senado Federal que discutiu os trâmites para a eleição da presidência da Casa; uma de suas medidas foi levar ao plenário votação sobre voto aberto, que gerou bate-boca

- Publicado no dia
David Alcolumbre e Kim Kataguiri (Foto: Reprodução/Facebook)

O senador Davi Alcolumbre (DEM/AP), um dos pivôs do bate-boca no Senado Federal nesta sexta-feira (1º) e que acabou adiando a votação para a presidência da Casa para esse sábado (2), gravou logo após a suspensão da sessão um vídeo com o deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP). No filme, Kim celebra a coragem de Davi em enfrentar Renan Calheiros. [1]

“O senador Davi Alcolumbre está fazendo um combate intenso que nunca foi feito contra Renan Calheiros, um cara que representa o que há de pior na política brasileira. Todos os políticos têm medo de enfrentá-lo. Desta vez, temos alguém”, afirmou, em referência ao fato de Alcolumbre, na posição de presidente interino do Senado, ter conseguido, em um primeiro momento, a votação aberta para a presidência – e que foi derrubada nesta madrugada pelo ministro Dias Toffoli, do STF.

Alcolumbre responde Kim, na sequência, e “conclama” os brasileiros a fazerem uma “vigília” contra Renan Calheiros, que seria um “câncer da política nacional”:


PUBLICIDADE


“Eu quero conclamar aos brasileiros, a todos das redes sociais e militantes políticos. A gente tem uma grande oportunidade. Hoje, eu enfrentei uma grande batalha. Como presidente, consegui combater Renan Calheiros. A partir de uma questão de ordem, abri a votação [relativa à eleição da presidência] do Senado. Após ofensas [contra a] minha pessoa e um embate duro. Com certeza eu estava na presidência do Senado representando a vontade da população, que votou pela mudança. Renan Calheiros não é a mudança do Senado, não é a mudança do Brasil. Peço aos brasileiros que, nessa noite, em vigília, até amanhã [sábado], a gente fique firme no propósito de enfrentar o câncer da política nacional e um caso de polícia chamado Renan Calheiros”, afirmou o senador.

Na discussão do Senado Federal, a senadora Katia Abreu (PDT/TO), defensora do voto fechado, chegou a tomar a pasta de Davi Alcolumbre para inviabilizar seu trabalho na presidência do Senado. Em 2018, ela foi candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes (PDT).

Leia também:  Advogado do MBL diz que caminhoneiros são 'MST de luxo' de Bolsonaro

Candidato à presidência do Senado e considerado um dos favoritos na disputa, especialmente no cenário de voto fechado, o senador Renan Calheiros (MDB/AL) também reclamou da presidência da Alcolumbre. Ainda durante a sessão, seu partido ingressou junto com o Solidariedade com um pedido no Supremo Tribunal Federal para anular a votação feita pelo democrata sobre o voto aberto. No início da madrugada deste sábado, Dias Toffoli concedeu liminar favorável. [2]

Movimento do qual Kim Kataguiri é coordenador nacional, o MBL tem atuado contra a volta do senador Renan Calheiros à presidência do Senado. Na última quinta-feira (31), chegou a projetar “Fora, Renan” nas torres do Congresso Nacional.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.