PUBLICIDADE


Renan Santos diz que novo coordenador do ENEM foi expulso do MBL

Coordenador do MBL chamou novo diretor do Inep de “maluco completo” e alegou que ele alimentava teorias conspiratórias contra o movimento

- Publicado no dia
Murilo Resende (Foto: Fernando Leite / Jornal Opção)

A polêmica criada em torno do nome de Murilo Resende, aluno de Olavo de Carvalho que foi indicado para assumir a direção do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e organizar exames como o Enem, ganhou novo capítulo nesta segunda-feira (7). É que, de acordo com o coordenador do Movimento Brasil Livre, Renan Santos, Murilo já foi membro do grupo – e foi expulso. [1]

O assunto foi matéria do jornal O Globo. De acordo com a reportagem, Resende alega ter deixado o MBL por “divergências insanáveis”. Ele integrava o MBL goiano quando não concordou com a aproximação do MBL a partidos de oposição para viabilizar o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Formado em administração de empresas e doutor em economia pela Fundação Getúlio Vargas, Resende tem 36 anos e deletou seu blog depois de a imprensa começar a divulgar seu conteúdo.


PUBLICIDADE



O novo diretor do Inep afirma que o grupo do MBL em Goiás era completamente informal e simplesmente pretendia se identificar com o grupo nacional favorável ao impeachment. Diante das “divergências com o prof. Olavo de Carvalho” por parte do MBL, Resende e seus amigos se afastaram do grupo. “O que continuou sendo chamado de MBL-GO me parece ter se tornado sim um braço da organização conhecida como MBL. De 40 pessoas sobraram umas 5. Foi isso. E os adjetivos usado só refletem ressentimento pelas críticas que já fiz ao grupo”, resumiu.

A referência aos adjetivos diz respeito às declarações de Renan Santos. O coordenador disse que Resende era “um maluco completo”. “Expulso, vivia xingando a gente por lutarmos pelo impeachment… Lunático, conspiratório, fora da realidade”, comentou Renan.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Leia também:  Jornal diz que rede bolsonarista 'jacobina' promove linchamentos de aliados
Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.