fbpx
PUBLICIDADE


Parlamentares alemães querem criar imposto para muçulmanos

Medida, que já é aplicada sobre adeptos de denominações cristãs em alguns países europeus, obriga fieis a financiarem instituições religiosas

- Publicado no dia
Muçulmanos em hora de oração (Foto: Reprodução / DW)

Membros da coalizão de governo alemã sinalizaram nos últimos dias com a proposta de criar um imposto para mesquitas, diz o site da Deutsche Welle (DW). O objetivo é claro: tentar diminuir o peso das doações estrangeiras para o funcionamento dos centros religiosos islâmicos como estratégia para combater o fundamentalismo e o terrorismo. [1]

Na verdade, o imposto sobre instituições religiosas já é aplicado sobre católicos e evangélicos luteranos, mas funciona de forma especial: os recursos arrecadados são apenas coletados pelo estado e depois devolvido às igrejas. O propósito é que sejam usados nas atividades das próprias organizações religiosas. O mesmo sistema seria aplicado no caso dos muçulmanos.


PUBLICIDADE



Um deputado do Partido Democrata Cristão, legenda da própria chanceler Angela Merkel, Thorsten Frei, afirmou nesta quarta-feira (26) que a taxa aos muçulmanos possibilitaria que “o islã na Alemanha se emancipe de estados estrangeiros”. Sustentadas pelos impostos, as mesquitas dependeriam menos de doações, que se alega virem constantemente de países e organizações que visam difundir ideologias extremistas.

A Alemanha tem, de acordo com o governo, entre 4,4 e 4,7 milhões de muçulmanos, embora nem todos sejam efetivamente praticantes da religião, porque os números incluem pessoas que são oriundas de famílias islâmicas por tradição. O sistema de cobrança de impostos de fiéis para sustentar instituições católicas e protestantes também é cobrado em países como Áustria, Suécia e Itália.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.