fbpx
PUBLICIDADE


De olho no público jovem, MBL lança canal em rede social de gamers

Movimento Brasil Livre estreou canal no Twitch com transmissão ao vivo onde alguns dos principais coordenadores da entidade jogaram jogos como Tomb Raider, Counter Strike e Fortnite

- Publicado no dia
Kim Kataguiri jogando Dota (Foto: Reprodução/Facebook)

Um dos principais movimentos do ecossistema pró-liberdade do país, o Movimento Brasil Livre inaugurou nesta sexta-feira (21) seu canal no Twitch. Trata-se de uma rede conhecida principalmente por transmissões de jogos online e frequentada, sobretudo, por jovens – como os próprios líderes e boa parte dos seguidores do MBL. [1]

Na primeira transmissão ao vivo, coordenadores como Pedro D’eyrot, Renan Santos e a repórter Francine Galbier (do site MBL News) jogaram jogos como Tomb Raider, Counter Strike e Fortnite.


PUBLICIDADE



Atualmente com mais de 5 mil seguidores, a rede foi divulgada também pelo coordenador nacional do MBL e deputado eleito Kim Kataguiri – um dos mais votados de São Paulo e com apenas 22 anos. Ele é fã de videogames e defendeu, em outubro, a redução de impostos para jogos. [2][3]

Coordenador nacional e um dos fundadores do Movimento Brasil Livre, Pedro D’eyrot explicou ao Boletim da Liberdade que o MBL decidiu experimentar o Twitch por ser uma “ferramenta muito melhor pra livestreaming”.

Renan Santos e Pedro D’eyrot em transmissão ao vivo jogando Fortnite (Foto: Reprodução/Twitch)

“Gostamos sempre de trabalhar com um grande volume de conteúdo e o YouTube, enquanto plataforma, acaba impondo algumas limitações. Como a experiência habitual de consumo dos usuários no Twitch são os streams de games e alguns de nós jogam também (o Kim joga Dota e Heartstone, Renan curte FIFA, Alexandre [Santos, o ‘Salsicha’]  Battlefield e eu gosto de Turn Based como Xcom e afins), foi natural começar por aí”, comentou.

Para D’eyrot, as respostas ao experimento foram positivas.

“O feedback acabou sendo tão positivo que a coisa virou um ‘MBL games'”, brincou.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.