fbpx
PUBLICIDADE


Protestos contra ‘impostos ecológicos’ na França têm tumulto e bloqueios de ruas

Manifestantes usam “coletes amarelos” para protestar contra aumento do preço dos combustíveis em consequência de “imposto carbono” aplicado por Macron

- Publicado no dia
Protesto dos “coletes amarelos” (Foto: Reprodução / RFI)

A “cidade-luz” vive dias de tensão diante da medida impopular do presidente Emmanuel Macron de criar um “imposto ecológico”, estopim para uma revolta social mais ampla contra o aumento do custo de vida e a queda do poder de compra. Neste sábado (1), Paris foi palco de manifestações violentas e confrontos com a polícia. [1] [2]

Pelo menos 205 pessoas foram presas e 65 ficaram feridas durante a repressão policial a manifestações com vandalismo e bloqueio de ruas na Avenida Champs Elysées. As lojas da tradicional Galeria Lafayette e da Printemps foram evacuadas e incêndios colocaram em risco vários prédios no centro da cidade. Um fuzil também chegou a ser roubado de uma viatura da polícia francesa e o cenário de turbulência se alastrou por diferentes bairros da capital.


PUBLICIDADE



As cenas, que lembram as últimas manifestações violentas em junho de 2013 no Brasil, são mobilizadas por grupos apelidados de “coletes amarelos”, que usam a peça como símbolo, já que é obrigatória para os veículos franceses. Os manifestantes estão insatisfeitos com o aumento no preço dos combustíveis devido à criação do chamado “imposto carbono”, que incide sobre o diesel na tentativa de torná-lo mais caro do que a gasolina, por poluir mais.

O presidente Macron lamenta a situação, mas faz questão de frisar que não pretende voltar atrás. “Devemos escutar os protestos de alarme social, mas não devemos fazer isso renunciando a nossas responsabilidades para hoje e amanhã, porque existe também um alarme ambiental”, afirmou. Diante disso, permanecem muitas incertezas quanto ao que está reservado para o futuro do governo francês.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.