fbpx
PUBLICIDADE


Revogação do Estatuto do Desarmamento fica para 2019, diz Peninha

Deputado autor da atual proposta defendeu que o projeto seja votado na nova legislatura, que tem maior presença de liberais e conservadores dispostos a se posicionarem a favor da medida

- Publicado no dia
Nos Estados Unidos, diversos estados contam com permissão até para o porte ostensivo de arma por parte dos civis (Foto: PDN)

O projeto que propõe a flexibilização – ou revogação – do Estatuto do Desarmamento não será mais votado em 2018. Em telefonema, o presidente eleito Jair Bolsonaro teria concordado que o projeto só vá à Plenário na próxima legislatura. [1]

“Ele concordou em deixarmos para o ano que vem a votação do projeto de minha autoria que revoga o Estatuto do Desarmamento. Se forçássemos a barra para votar esse ano, haveria risco de a proposta ser rejeitada – e um trabalho de 6 anos iria pelo ralo. A composição do novo Congresso é mais conservadora. Com os novos deputados, as chances de aprovarmos o PL 3722 são bem maiores.


PUBLICIDADE



★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.