fbpx

Revogação do Estatuto do Desarmamento fica para 2019, diz Peninha

Deputado autor da atual proposta defendeu que o projeto seja votado na nova legislatura, que tem maior presença de liberais e conservadores dispostos a se posicionarem a favor da medida
Nos Estados Unidos, diversos estados contam com permissão até para o porte ostensivo de arma por parte dos civis (Foto: PDN)

O projeto que propõe a flexibilização – ou revogação – do Estatuto do Desarmamento não será mais votado em 2018. Em telefonema, o presidente eleito Jair Bolsonaro teria concordado que o projeto só vá à Plenário na próxima legislatura. [1]

“Ele concordou em deixarmos para o ano que vem a votação do projeto de minha autoria que revoga o Estatuto do Desarmamento. Se forçássemos a barra para votar esse ano, haveria risco de a proposta ser rejeitada – e um trabalho de 6 anos iria pelo ralo. A composição do novo Congresso é mais conservadora. Com os novos deputados, as chances de aprovarmos o PL 3722 são bem maiores.

[wp_ad_camp_1]

[wp_ad_camp_3]

Compartilhe essa notícia:
Leia também:  Bolsonaro pode ser preso? Juristas explicam

Assine o Boletim da Liberdade e tenha acesso, entre outros, às edições semanais da coluna panorama

plugins premium WordPress
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?