fbpx
PUBLICIDADE

Pichadores de suástica em igreja no RJ eram contrários a Bolsonaro

Descoberta da Polícia Civil vai ao encontro de suspeita na internet de que esse e outros ataques têm sido orquestrados por grupos contrários a Jair Bolsonaro e visam aterrorizar eleitores
Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

A Polícia Civil do Rio de Janeiro começou a desvendar a pichação de suásticas em uma histórica igreja em Nova Friburgo, no interior do Rio de Janeiro, no último domingo (14). [1]

De acordo com informações divulgadas pela InterTV, afiliada da TV Globo na região, após averiguar câmeras de segurança, descobriu-se que os pichadores haviam também, em outros locais, escrito frases e expressões contrárias ao candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) – entre elas, o bordão “Ele Não”.

Com a descoberta, a maior suspeita é que as suásticas tenham sido pichadas visando alarmar a sociedade e confirmar acusações políticas contra o candidato do PSL.





De qualquer modo, as três pessoas que já foram identificadas pelo crime poderão responder por apologia ao nazismo.

[irp posts=”6333″ name=”Em filme viral, MBL compara nazismo ao comunismo: ‘Dois lados da mesma moeda'”]

[irp posts=”6239″ name=”Se o nazismo era coletivista, ele era de esquerda, direita ou terceira via?”]





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama