fbpx
PUBLICIDADE

Uma das principais lideranças do NOVO pede para Bolsonaro desistir da disputa

Carmen Migueles é candidata a vice-governadora do Rio de Janeiro na chapa de Marcelo Trindade e concorreu à prefeitura do Rio em 2016, a primeira candidata a um cargo executivo da legenda
Foto: Fabio Motta/Estadão
Foto: Fabio Motta/Estadão

Primeira candidata do Partido Novo a um cargo executivo, em 2016, a professora Cármen Migueles surpreendeu seus seguidores na manhã deste sábado (15) ao pedir, nas redes sociais, a desistência de Jair Bolsonaro da disputa presidencial. [1]

Hoje candidata à vice-governadora na chapa de Marcelo Trindade, no Rio, Cármen intitula seu texto como “um apelo a Bolsonaro” e afirma que “o Brasil nunca precisou tanto de um patriota”.

“O Brasil não aguentará mais quatro anos com o PT. A vitória do Haddad será o retorno da força de Lula. O fim dos esforços da [Operação] Lava-Jato. E talvez, Deus nos livre, o fim da força do juiz Sérgio Moro. Só o senhor pode reverter esse quadro e nos livrar desse risco. É momento para uma retirada estratégica. Só o senhor pode, a 3 semanas da eleição, liderar a recomposição da direita e derrotar o PT na eleição. Mas para isso, precisa abrir mão da candidatura, fazer uma retirada estratégica e voltar fortalecido em 4 anos”, diz a professora, em texto baseado no súbito crescimento de Fernando Haddad (PT) na pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (14).





Ela explica que Bolsonaro está “enfraquecido pela covardia da facada e pelos inúmeros opositores, com forte rejeição” e opina que “a sua liderança pode nos levar para onde menos podemos ir: direto para os braços da esquerda”,

“Saia dessa disputa e entre para a história como o líder que o Brasil precisa. Seja, como soldado, o mártir dessa causa. Faça isso por nós. E volte, muito mais forte, saudável e com menos oposição, em 2022, com chances reais de vencer. O Brasil não pode correr o risco de mais 4 anos nas mãos da esquerda”, escreveu Cármen.

A publicação foi escrita no perfil do Facebook da candidata.

+ Carmen Migueles, a primeira candidata do Partido Novo a um cargo executivo, abre o jogo em entrevista ao Boletim





Foto: Reprodução/Facebook

Atualização às 12h43: Cerca de três horas após a publicação original, Cármen Migueles divulgou em seu Facebook uma breve retratação sobre o texto publicado. “Em um momento de infelicidade vendo a pesquisa da Datafolha escrevi uma bobagem. Venho me retratar!”. O texto original, no entanto, não havia sido apagado até o momento desta atualização pelo Boletim da Liberdade. [2]





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama