SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     TWITTER     YOUTUBE



Agressores de militante do Livres pensaram que ele era membro do MBL

Ataques aconteceram durante ato de protesto pela queima do Museu Nacional; embora nada tivesse a ver com o assunto, o MBL se solidarizou

- Publicado no dia
Registro do início da agressão (Foto: Reprodução / Facebook)

Dois manifestantes foram agredidos na Cinelândia, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (3), durante um ato em protesto pela queima do Museu Nacional. O motivo: foram confundidos com membros do Movimento Brasil Livre, informação falsa replicada por parte da imprensa. Ao contrário, pelo menos um deles, Calebe Ribeiro, é membro do Livres. [1]

Calebe, que também é coordenador estadual do Students For Liberty Brasil, publicou um desabafo em seu perfil nas redes sociais. Ele disse que estava “imbuído do mesmo sentimento de revolta” de todos os presentes e se inscreveu para fazer um pronunciamento, mas seu nome foi riscado. Alegaram que ele não poderia, “porque era só para quem era de movimentos”. [2]


PUBLICIDADE



Ele conta que então se identificou como membro do Livres e pegou seu celular para fazer uma transmissão. Logo depois, ele afirma ter recebido uma pancada na mão que derrubou seu celular. “Em sequência começaram a bicá-lo, foi quando alguém me puxou pra fora da roda. (…)  Não houve diálogo, foi chuva de porrada a torto e a direito. Resultado: perdi meu celular e ainda roubaram meu sapato, tive que comprar outro pra não vir para casa descalço”.

O advogado Zema José Maria Filho, do MBL da Baixada Fluminense, divulgou um vídeo repudiando as agressões sofridas por Calebe e o outro jovem, mas esclareceu que eles não são membros do MBL. Confira o vídeo:

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também