fbpx
PUBLICIDADE

Pesquisa comprova tese de liberais sobre a confiança entre indivíduos de um país

Pesquisa de Marco Tulio Zanini e Carmen Migueles chegou a conclusão de que a falta de confiança no ambiente de trabalho prejudica a produtividade na economia do Brasil
Foto: hinkstock/anyaberkut
Foto: hinkstock/anyaberkut
PUBLICIDADE

A confiança entre os indivíduos de uma sociedade é um tema frequentemente abordado por liberais e conservadores como um requisito para a construção de uma sociedade livre e próspera. Uma pesquisa divulgada nesta semana reforça esse argumento e, com base científica, prova que a falta de confiança dos brasileiros entre si prejudica mesmo a produtividade do país. [1][2]

PUBLICIDADE

Conduzida pelos pesquisadores Marco Tulio Zanini e Carmen Migueles (ela, ligada ao Partido Novo, é candidata a vice-governadora na chapa encabeçada por Marcelo Trindade ao governo do Rio), a análise foi baseada na aplicação de mais de 1,6 mil questionários em empresas privadas.

Os professores contataram que a distância de poder entre o topo das organizações e a base, em grande medida justificada pela falta de confiança dos chefes em seus subordinados, cria uma quantidade elevada de regras e controles que, na prática, só engessa a cooperação entre os colaboradores. Como resultado, a gestão acaba sendo mais voltada para o curto prazo, gera mais retrabalho e uma “gestão reativa”.

PUBLICIDADE

Para os pesquisadores, de acordo com a matéria publicada no site do jornal Valor Econômico, o estudo indica que a baixa produtividade no Brasil não é apenas consequência do nível de educação formal. Como exemplo, citam que o Brasil tem mais pessoas no ensino superior do que a China, mas amarga uma posição consideravelmente inferior no ranking de inovação global.

“É possível neutralizar o impacto da nossa herança cultural nas nossas organizações”, disse Carmen ao jornal.

O diplomata francês Alain Peyrefitte foi o autor da obra traduzida no Brasil como “A Sociedade da Confiança” (Foto: Reprodução/Instituto Liberal)

Olavo de Carvalho e Instituto Liberal já trataram do tema

A falta de confiança na sociedade foi tema de inúmeros artigos e comentários políticos no ecossistema pró-liberdade. Em 1999, a editora Topbooks, em parceria com o Instituto Liberal, traduziu  e editou no país o clássico A Sociedade da Confiança, escrito pelo diplomata francês Alain Peyrefitte (1925-1999). [3]

PUBLICIDADE

Quem coordenou os trabalhos de edição da obra foi o jornalista Olavo de Carvalho, que anos mais tarde se sagraria como um dos principais influenciadores da nova direita brasileira.

No livro, Peyrefitte classifica como “sociedade da desconfiança” uma “a sociedade temerosa, ganha-perde: uma sociedade na qual a vida em comum é um jogo cujo resultado é nulo”, “propícia à luta de classes, ao mal-viver nacional e internacional, à inveja social, ao fechamento, à agressividade da vigilância mútua”.

Por outro lado, ele diz, a “sociedade de confiança é uma sociedade em expansão, ganha-ganha (‘se tu ganhas, eu ganho’); sociedade de solidariedade, de projeto comum, de abertura, de intercâmbio, de comunicação.”

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama