SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     TWITTER     YOUTUBE



Bolsonaro atraiu o interesse de 70% dos internautas no Google durante o debate

Informações divulgadas pela plataforma Google Trends vão ao encontro da popularidade do candidato do PSL que é líder nas pesquisas de intenção de voto sem o ex-presidente Lula; encontro foi bem de audiência

- Publicado no dia
Candidatos à presidente em debate da Band (Foto: Divulgação)

O candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) foi o principal destaque no Google durante a realização do primeiro debate presidencial nesta quinta-feira (9). [1]

Exibido pela TV Bandeirantes das 22h às 1h, Bolsonaro foi motivo de interesse para 69% dos internautas que utilizaram o buscador. Em segundo lugar, veio Ciro Gomes (PDT), com 12% das buscas; Geraldo Alckmin (PSDB), com 5%; e Álvaro Dias (Podemos), com 4%.

As informações são provenientes do próprio buscador, mais especificamente da plataforma Google Trends, que atuou em parceria com o debate.

O primeiro encontro entre os presidenciáveis na TV foi exibido simultaneamente na televisão e no YouTube. Na plataforma de vídeos, em determinado momento, chegou a bater 390 mil espectadores simultâneos. Até a publicação desta matéria, foram mais de 2,2 milhões de visualizações. Na televisão, o programa também foi bem. Foram 5,9 pontos de audiência segundo dados prévios do Ibope, índice superior ao alcançado no primeiro debate presidencial de 2014.  [2][3]


PUBLICIDADE



Desempenho

Os principais veículos e analistas consideraram o debate morno, sem grandes embates ou vencedores. Jair Bolsonaro, líder nas pesquisas de intenção de voto que desconsideram o ex-presidente Lula (PT), preso condenado por corrupção, soou moderado. Guilherme Boulos (PSOL) foi considerado articulado e Ciro Gomes também soube conter seus ânimos.

Protagonista da noite, Cabo Daciolo surpreendeu internautas e telespectadores com suas falas conservadoras e religiosas. Citando Jesus Cristo em quase todas as suas falas, o deputado federal (eleito pelo PSOL em 2014) criticou o Foro de S. Paulo, reclamou do comunismo, prometeu cortar o preço dos combustíveis e garantiu que o Brasil pode se tornar a primeira economia mundial.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também