PUBLICIDADE


Geraldo Alckmin fala sobre exclusão de páginas pelo Facebook e Fake News

O presidenciável do PSDB endossou a necessidade de combater a proliferação de Fake News e citou a atitude do Facebook na última semana

- Publicado no dia
Geraldo Alckmin (Foto: Reprodução / Folha)

O nome do PSDB e do “Centrão” para a presidência da República, Geraldo Alckmin, se manifestou nesta segunda-feira (31) sobre a polêmica da exclusão de páginas e perfis, muitos ligados ao MBL, pelo Facebook. O tema era o apoio ao combate às Fake News, mas a publicação mencionou atitude da empresa sem condená-la.

“Eleições em diversos lugares mundo afora já foram afetadas por boatos infundados, e é preciso ficar com os dois pés atrás toda vez que você vir um contato de WhatsApp dizendo que é para compartilhar um texto ou vídeo bombástico oriundo de fontes duvidosas”, alertou o post. A ideia de Alckmin é convidar os eleitores a colaborarem submetendo notícias a seu respeito a uma avaliação de sua equipe, para determinar se há ou não Fake News.

Na imagem que acompanha o post, ressaltando a necessidade de enfrentar as notícias falsas, está destacado que o Facebook “excluiu 196 páginas e 87 contas por divulgação de Fake News”. Confira o post:


PUBLICIDADE



★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.