fbpx
PUBLICIDADE


Israel aprova lei histórica pela sua autodeterminação como pátria dos judeus

Lei que gerou irritação entre as minorias árabes do país oficializa o caráter judaico do estado e determina o hebraico como único idioma oficial

- Publicado no dia
(Foto: Ammar Awad / Reuters)

O Parlamento israelense aprovou uma lei histórica nesta quinta-feira (19). O texto determina que Israel é nomeadamente um “estado-nação judaico”, com capital única em “Jerusalém unificada” e tendo apenas o hebraico como língua oficial, reduzindo o árabe a uma categoria de idioma “especial”. [1]

Israel oficialmente passa a se considerar, como “pátria histórica do povo judeu”, um estado-nação em que cabe aos judeus o direito de se autogovernar e definir o estatuto político do país. A medida foi aprovada por 62 votos a favor e 55 contra, com duas abstenções. Houve protesto de parlamentares árabes, que rasgaram cópias do projeto de lei logo após a votação e consideraram a determinação uma forma de racismo.


PUBLICIDADE



Essa adição foi realizada pouco depois do aniversário de 70 anos do estado judaico, em maio. Ela também define que todos os judeus têm o direito de migrar para Israel e obter cidadania, promovendo os assentamentos judaicos em seu território. A lei chegou a ser alterada antes da aprovação devido a cláusulas que previam o estabelecimento de comunidades exclusivamente judias e instruíam tribunais a arbitrar de acordo com a lei ritual judaica quando não houvesse jurisprudência relevante.

O parlamentar árabe Ahmed Tibi disse que a lei marca a “morte da democracia”. Ao contrário, o premiê israelense Benjamin Netanyahu festejou: “Ultimamente, há pessoas que estão tentando desestabilizar os fundamentos da nossa existência e dos nossos direitos. Então, hoje nós fizemos uma lei em pedra. Este é o nosso país. Esta é a nossa língua. Este é o nosso hino e esta é a nossa bandeira. Viva o estado de Israel”.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.