PUBLICIDADE


Confeiteiro que se recusou a servir homossexuais vence processo

Jack Phillips não aceitou preparar bolo para homossexuais por ser contra o casamento gay; Comissão de Direitos Humanos o processou por discriminação

- Publicado no dia
Jack Phillips trabalhando (Foto: Reprodução / Christian Today)

Se um confeiteiro não quiser fazer um bolo de casamento para uma união homossexual porque isso contraria suas ideias religiosas, ele deve ter a liberdade de se recusar? Nesta segunda-feira (4), o Supremo Tribunal dos Estados Unidos decidiu responder que sim. [1]

O fato se deu em 2012, quando David Mullins e Charlie Craig encomendaram um bolo para seu casamento na Masterpiece Cakeshop, em Lakewood, Colorado. O dono da pastelaria, Jack Phillips, se recusou. Ele alega que suas crenças religiosas são contrárias ao casamento gay e artistas têm o direito de decidir a que clientes querem atender e o que querem fazer e vender. Ele foi processado pela Comissão de Direitos Humanos do estado, que considerou que sua atitude violava a lei antidiscriminação local.

O Supremo Tribunal inverteu o raciocínio, alegando que a comissão demonstrou “hostilidade clara e inadmissível” à religião de Phillips. “O parecer da comissão do Colorado foi inconsistente com a obrigação do estado de garantir a neutralidade religiosa. A recusa deste pasteleiro foi baseada nas suas convicções e crenças religiosas sinceras”, disse o juiz Anthony Kennedy, que anunciou a decisão. Sete magistrados votaram a favor de Phillips e dois contra.


PUBLICIDADE



★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.