fbpx
PUBLICIDADE

Pesquisa indica que homens com menos músculos tendem a ser de esquerda

Pesquisa da Brunel University aponta que há correlação entre forma corporal e tempo gasto na academia com ideias políticas; ao mesmo tempo, pesquisa traz resultado ambiguo e abre espaço para novas hipóteses
Jair Bolsonaro e Randolfe Rodrigues batem boca no Rio de Janeiro. Bolsonaro, ex-militar, associado à direita; Rodrigues, então no PSOL, senador de esquerda. (Foto: Márcia Foletto/Agência O Globo)
Foto: Reprodução/Brunel University London

Homens mais musculosos e que dedicam mais tempo à academia são menos propensos a apoiar ideias de redistribuição de riquezas e igualdade econômica. Ao menos é essa a conclusão preliminar de um estudo feito pela Brunel University London, da Inglaterra. [1]

A pesquisa, conduzida por um professor da Faculdade de Saúde e Ciências da Vida, foi baseada na avaliação de 171 homens, que tiveram medidas altura, peso, tamanho da cintura, circunferência muscular flexionada e relaxada e força no braço e peito.

A mesma correlação valeu para homens com muito ou pouco dinheiro. Os homens com atributos físicos mais intimidadores e que são ricos são tão propensos a serem contra a redistribuição de riquezas como homens com menos dinheiro, que, em tese, poderiam desejar a redistribuição.





Não se tratou da primeira pesquisa que indica uma correlação entre formas do corpo à defesa de ideias ligadas à direita ou à esquerda. O professor Michael Prince, porém, observou que mesmo assim os resultados podem ser “ambíguos”:

“Ser musculoso faz com que os homens sejam menos igualitários, ou os homens que são menos igualitários é que tendem a se dedicar menos à musculação?”, questionou.

Jair Bolsonaro e Randolfe Rodrigues batem boca no Rio de Janeiro. Bolsonaro, ex-militar, associado à direita; Rodrigues, então no PSOL, senador de esquerda. (Foto: Márcia Foletto/Agência O Globo)

A Brunel University London observou, na divulgação da pesquisa, que, para aprofundar o assunto, uma boa ideia são novas estudos que visem correlacionar narcisismo com a propensão de ter mais indiferença em relação à desigualdade, por exemplo.

Cabe pontuar, por fim, que redistribuição de riquezas e a ênfase discursiva pela igualdade costumam ser bandeiras associadas à esquerda, enquanto que a liberdade e a meritocracia são pautas geralmente defendidas por pessoas que se identificam com a direita.





Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama