fbpx
PUBLICIDADE


Deputados que foram alvo da Lava Jato disputarão eleições deste ano

Número extremamente considerável de parlamentares que são alvo das investigações, incluindo o presidente da Câmara, estará na briga novamente

- Publicado no dia
Rodrigo Maia, quando foi eleito presidente da Câmara (Foto: Reprodução / Época)

O discurso da “renovação” política ganhou força nos últimos tempos, principalmente diante dos escândalos de corrupção revelados em investigações como as da Operação Lava Jato. Mesmo assim, as pesquisas indicam que os políticos que foram alvo de investigações não pretendem perder seu lugar ao Sol. De acordo com levantamento do Estadão, 91% dos deputados que sofreram inquéritos e ações penais estarão nas eleições de 2018. [1]

Com a mudança de orientação do STF, o foro privilegiado para parlamentares que atuam no âmbito federal está mantido apenas para crimes cometidos durante o mandato e em função do exercício do cargo. Ainda assim, 50 dos 55 deputados indiciados estarão pleiteando, quer a recondução aos cargos, quer a eleição a cargos superiores. Um deles é o próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que no momento pleiteia a presidência da República.


PUBLICIDADE



Ao menos 68 casos envolvendo deputados e senadores já foram enviados pelo STF a outras instâncias da Justiça. Um outro levantamento feito com dados do período entre janeiro de 2007 e outubro de 2016 mostrou que 96,5% das ações penais contra parlamentares no órgão máximo do Judiciário não resultaram em nenhuma punição ao parlamentar réu. [2]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.