SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     TWITTER     YOUTUBE



Professor ataca aluno em sala de aula por falar de Bolsonaro: veja o vídeo

Aparentemente descontrolado, docente repreendeu um aluno por ele ‘falar’ de Bolsonaro e acusou o pré-candidato à presidência da república, hoje líder nas pesquisas, de ‘não gostar de pobres, nem de negros’

- Publicado no dia
Foto: Reprodução de Vídeo / Facebook

O jornalista Paulo Eduardo Martins publicou na última terça-feira (25) um vídeo, no mínimo, chocante. Nele, um professor repreende um aluno, aos gritos, em frente a uma turma escolar pelo fato de o estudante “falar” sobre Bolsonaro. [1]

“Para com isso. Para de falar desse merda. Eu lutei muito para ter democracia nesse país, levei porrada nas costas, levei gás outro dia. Outro dia, várias vezes, para ter democracia nessa merda. E você falando desse merda do Bolsonaro”, reclamou o professor, aos berros, enquanto o aluno, aos prantos, tentava-se defender.

Em seguida, o professor acusou que Bolsonaro era um “safado e ladrão” e que sua família havia “triplicado tudo o que ele tinha em menos de dez anos”. Ele também complementou que o deputado federal e pré-candidato à presidência da república pelo PSL “é homofóbico, não gosta de pobres e nem de negros”.


PUBLICIDADE



“Pega aí quem era Hitler na Alemanha. Esse cara é um Hitlerzinho. Safado, ordinário. Presta atenção na História. Vocês querem o quê? Serem dominados? Chicote nas costas? É isso o que vocês querem?”, provocou o professor, enquanto o aluno chorava. Em seguida, ameaçou: “Pare de falar em minha sala de aula [sobre Bolsonaro]. Falou, vai levar menos dois pontos”.

O professor e a escola do vídeo não foram identificados. O Boletim da Liberdade procurou, por e-mail, o gabinete do deputado Jair Bolsonaro para saber se o parlamentar pretende tomar alguma medida em relação às acusações. Até o momento dessa publicação, não recebeu resposta. O seu filho, Flavio Bolsonaro, porém, comentou o episódio:

“Defendemos uma Escola Sem Partido. Onde o aluno tenha o direito de se expressar livremente sem ser ameaçado ou coagido pelo professor. Veja como o professor militante de esquerda trata o seu aluno. E são esses que dizem respeitar a democracia”, comentou Flávio, que é deputado estadual no Rio de Janeiro e lidera as pesquisas de intenção de voto ao Senado no estado. [2]

Assista, abaixo, ao vídeo completo:

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo