fbpx
PUBLICIDADE


Sem Lula, Bolsonaro só perderia de Marina no segundo turno, diz pesquisa

Pesquisa Datafolha aponta ainda empate entre o ex-militar e o pré-candidato à presidência da república Ciro Gomes (PDT); João Amoêdo (NOVO), Flávio Rocha (PRB) e Henrique Meirelles (MDB) ficaram com 1%

- Publicado no dia
Foto: Reprodução Paortal Mto Grosso e Folha de S. Paulo

O Datafolha foi às ruas entre quarta-feira (11) e sexta-feira (13) e entrevistou 4.194 pessoas para a sua mais nova pesquisa de intenção de voto à presidência da república. Descartados os cenários com Lula (PT) candidato – que, editorialmente, o Boletim da Liberdade considera improvável devido a sua situação jurídica -, Jair Bolsonaro (PSL) segue liderando em todos os cenários em 1º turno. [1]

Nesta primeira fase eleitoral, os pré-candidatos à presidência da república mais alinhados a políticas liberais ficaram na faixa de 1%: João Amoêdo (NOVO), Flávio Rocha (PRB) e Henrique Meirelles (MDB). Destaca-se no primeiro turno, ainda, o franco crescimento de Marina Silva (Rede), que passa a figurar entre 1 a 2 pontos percentuais atrás de Bolsonaro – dentro, portanto, da margem de erro.


PUBLICIDADE



Segundo turno

Nos cenários em 2º turno, Jair Bolsonaro (PSL), segundo a pesquisa, lograria vitória contra os petistas Fernando Haddad (37 a 26) e o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner (39 a 23). Em ambos os casos, o percentual de votos em branco, nulos ou de pessoas que não decidiram ainda o candidato variou de 37% a 38%.

Contra o pré-candidato à presidência da república Ciro Gomes (PDT), a situação se aperta. Bolsonaro empataria com o cearense com 35% cada um. O total de votos em branco, nulos ou de entrevistados que alegaram não saber em quem votar cai, nesse cenário, para 30%.

Segundo a pesquisa Datafolha, a única pré-candidata à presidência da república que, nesse momento, poderia vencer de Jair Bolsonaro seria Marina Silva (Rede). A ambientalista venceria o ex-militar por 44 a 31. É o cenário também com menos votos em branco, nulos ou sem decisão: apenas 25%.


PUBLICIDADE



Efeito Barbosa

O Datafolha também considerou cenários com o ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, candidato. Ele filiou-se recentemente ao Partido Socialista Brasileiro (PSB). [2]

Em todos os cenários, Barbosa figurou à frente do pré-candidato à presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin (PSDB), variando entre 9% e 10% das intenções de voto. Essa faixa é similar a alcançada por Ciro Gomes, do PDT, e indica que o jurista tem forte potencial eleitoral.

Veja mais dados das pesquisa clicando aqui.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.