fbpx
PUBLICIDADE

Bitcoin contra Bitcoin: diretora do FMI defende regulação da criptomoeda

A diretora-gerente da instituição internacional acredita que a mesma tecnologia usada pelas criptomoedas deve ser usada pelos governos para controlá-las
(Foto: Reprodução / InfoMoney)

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, criticou em um post de um blog, no último dia 13, o uso de moedas digitais, como o famoso bitcoin, para financiamento de terrorismo ou lavagem de dinheiro. Ela acredita que é necessária uma regulação – inclusive global – para evitar esses perigos. Porém, o detalhe curioso é que essa regulação deveria fazer uso das “mesmas inovações que movem os criptoativos”. [1]

A ideia de Lagarde é que o melhor método para empreender esse controle seria combater “fogo com fogo”, empregando na fiscalização governamental a mesma tecnologia por trás das criptomoedas para regulá-las. Os ministros das Finanças e diretores de bancos centrais do G-20 já se reuniram para discutir a regulação das moedas digitais.

Lagarde afirmou ainda que “nenhum país pode lidar com este desafio sozinho” e o encontro pode ser “um fórum para ajudar a desenvolver respostas no espaço de criptoativos em evolução”. A tecnologia que possibilita as transações globais instantâneas poderia ser usada, segundo ela, “para criar registros de informação padrão e verificada do consumidor junto de assinaturas digitais”. Havendo cooperação internacional, ela ainda sugere o emprego de dados biométricos, inteligência artificial e criptografia para “melhorar a segurança digital”.





Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama