fbpx
PUBLICIDADE


Youtube impõe restrições a vídeos que envolvam armas de fogo

A medida já atingiu ao menos um canal de um produtor de armas e pretende restringir principalmente a venda direita de armas através da rede social

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / Conexão Israel)

As manifestações por maiores restrições ao porte de armas nos EUA neste sábado (24) vêm logo em seguida a uma notícia sobre o Youtube que pode irritar quem acredite que o acesso a elas deveria ser facilitado até na Internet. No último dia 21, saiu a informação de que a rede de compartilhamento de vídeos atualizou suas políticas relacionadas a publicações com armas de fogo. [1]

De acordo com  as novas normas, não será admitido nenhum vídeo com a intenção de vendê-las ou promovê-las de maneira direta, “ou de links para sites que vendem esses itens”. Estão proibidos produtos de qualquer natureza que “permitam que uma arma de fogo simule fogo automático ou que convertam-na em uma arma de fogo automático”, como bump-stocks e pentes de alta capacidade. Vídeos ensinando a fabricação de armas e munições também não poderão ser publicados no Youtube.


PUBLICIDADE



Segundo o site Olhar Digital, essas medidas não são completamente inéditas. Em outubro do ano passado, depois de um atirador matar mais de 50 pessoas e ferir outras 500 usando armas modificadas para se tornarem mais letais, o Youtube já havia proibido a publicação de vídeos que orientassem os procedimentos necessários à feitura dessas modificações. O canal Spike’s Tactical, de um produtor de armas da Flórida, foi a primeira vítima, recebendo uma notificação dizendo que “o Youtube não permite conteúdo que incentiva ou promove atos violentos ou perigosos que têm um risco inerente de dano físico sério ou morte”. [2]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.