Governo não descarta privatização dos Correios

O ministro Gilberto Kassab admitiu em declaração à imprensa que a possibilidade não está descartada, mesmo após decisão judicial obrigando funcionários a pagar plano de saúde

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / B. Jardim)

“Ou os Correios diminuem suas despesas ou vão passar por um processo de privatização”. Pelo menos foi o que disse, na última terça-feira (13), o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

A declaração, que anima os mais liberais, veio após uma decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que determinou que empregados da estatal e seus dependentes deverão pagar uma mensalidade para manter os planos de saúde, diante da crise da empresa. Até então, os funcionários apenas pagavam um percentual por consulta ou exame.


PUBLICIDADE



O ministro argumentou que os Correios vivem “uma situação muito difícil” e, embora considere delicado “cortar direitos dos trabalhadores”, seria pior “fechar uma empresa porque está insolvente”. A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), naturalmente, está incomodada. A entidade alega que é o governo que vem retirando verbas da empresa injustificadamente, sem retorno. “Com todos os erros e ingerências políticas na administração dos Correios, a direção da estatal promove essas e outras retiradas de direitos dos próprios trabalhadores”, afirmam.

Confira também:

► CHEGOU A HORA DE APRENDER SOBRE BITCOINS EM UM GUIA OBJETIVO: Um treinamento para iniciar no mercado de criptomoedas e ganhar dinheiro.

► CRIE UM NEGÓCIO ONLINE E COMPLEMENTE A SUA RENDA. Siga o passo a passo para em 30 dias começar a faturar sem sair de casa.

► VOCÊ SABIA QUE EXISTE TÉCNICA PARA GANHAR NA LOTERIA? Quem comprou, não se arrependeu. 10 dias de garantia ou o seu dinheiro de volta

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.