PUBLICIDADE


Projeto de mandatos ilimitados para presidente é aplaudido na China

A medida acaba com o limite de dois mandatos e ainda procura inscrever o próprio nome do presidente Xi Jinping na Constituição chinesa

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução / BBC)

Constante alvo das queixas do presidente americano, Donald Trump, e também do presidenciável brasileiro Jair Bolsonaro, além de vista pelo escritor Olavo de Carvalho como um dos pilares do chamado “bloco eurasiano”(que também engloba a Rússia), a China gerou manchetes nesta segunda (5) graças a uma perspectiva polêmica que se criou em seu Parlamento. Há uma boa chance de o presidente Xi Jinping, que governa pelo Partido Comunista em regime de partido único – na prática, já uma ditadura -, conquistar um mandato ilimitado.


PUBLICIDADE


Segundo o Estadão, cerca de 3 mil deputados chineses aplaudiram com entusiasmo a apresentação de uma proposta de emenda constitucional que, acabando com o limite de dois mandatos presidenciais, na prática, oferece a possibilidade de um poder vitalício para o presidente atual, com o propósito de transformar o país em uma superpotência. A confirmação da reforma deverá acontecer no domingo. O mandato atual de Jinping termina em 2023. [1]

A meta da China é combinar crescimento econômico com aumento de gastos militares para modernizar as Forças Armadas. A matéria do Estadão afirma ainda que o projeto procura incluir até o nome do presidente na Constituição e criar um novo órgão de combate à corrupção.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Leia também:  Deputado do PSL pede que STF informe quando será julgamento do voto impresso
Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.