fbpx
PUBLICIDADE


Índia diz que fantasias de carnaval de índio não ofendem os indígenas

Indígena Ysani Kalapalo, do Xingu, desabafou sobre a recente polêmica promovida pelo site ‘Catraca Livre’ acerca da utilização de fantasias indígenas no carnaval; para ela, fantasia é motivo de ficar feliz

- Publicado no dia
A índia Ysani Kapaolo (Foto: Reprodução/Facebook)

A índia Ysani Kalapolo, que nasceu e cresceu em tribo da cultura Kalapalo, no Xingu, publicou na última sexta-feira (9) nas redes sociais um vídeo sobre a recente polêmica a respeito de fantasia de índio no carnaval. Segundo ela, ao contrário do que propagado por sites como o Catraca Livre, não se trata de algo ofensivo.

“Não tem nada demais usar o cocar e adereços indígenas no carnaval. Inclusive, os próprios indígenas, nas vésperas de carnaval, aparecem nas cidades mais próximas só para comemorar o carnaval com cocar e adereços. Para o meu povo, isso não é nada demais. Ao contrário, valoriza. A gente fica feliz”, desabafou.

Já que você está aqui...

... Nós temos um pequeno favor para lhe pedir. O Boletim da Liberdade é um projeto jornalístico independente, de viés liberal, mantido por jornalistas sérios e responsáveis.

Por isso, o conteúdo do Boletim não é influenciado por donos bilionários, políticos, partidos ou qualquer outro grupo de pressão. Somos abertos a críticas, mas também não nos movemos pela militância organizada e minorias barulhentas. Isso é importante porque damos voz na imprensa para quem se importa com a construção de um país admirável e marcado pelas liberdades individuais e econômicas.

Muitas pessoas estão lendo o Boletim da Liberdade gratuitamente graças aos nossos assinantes. No entanto, nós entendemos que nossa missão não é colocar um paywall que bloqueie os leitores que não pagam. Por isso, precisamos da sua ajuda para seguir operando.

Para possamos seguir adiante, precisamos aumentar nossa base de assinantes (o custo é a partir de R$ 29,30 por trimestre) e mantenedores, que podem colaborar a partir de R$ 2,00. Para ajudar, leva apenas poucos minutos. Obrigado.

Ela ainda complementa: “A gente fica feliz quando vê o branco usando um cocar indígena. Por que? O que conota? Na minha visão, quando o branco está usando ali o cocar indígena, as pessoas vão lembrar dos índios. Se vão pensar bem ou mal, isso vai da cabeça de cada um”.

Polêmica

A polêmica acerca de fantasias politicamente incorretas surgiu após a publicação de um vídeo viral do site Catraca Livre. Além de julgar as fantasias de indígenas, o site – que ficou, recentemente, conhecido também por divulgar receitas culinárias com fezes – também condenou homens que se fantasiam de mulheres ou fantasias que estereotipam profissões, como enfermeiras. [1]

Fabio Ostermann, ex-diretor do Instituto Liberal e uma das principais lideranças do movimento Livres, comentou o assunto em suas redes sociais. Ele ponderou que esse discurso da “esquerda pós-moderna” apenas estimula o desenvolvimento de uma direita de “mitadas”, simbolizada pelo pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro: [2]


PUBLICIDADE



“Estou cada vez mais convencido de que nada produz tanto eleitor do Bolsonaro quanto essa tara politicamente correta que ignora e tira de foco problemas gravíssimos do nosso país para enfatizar microagressões absolutamente irrelevantes para qualquer pessoa adulta dotada de bom senso”, disse, complementando que, para ele, o que mais existem são “pessoas comuns, que só querem viver suas vidas em paz sem fazer mal a ninguém, ficando de saco cheio dessa falta de noção da ‘esquerda pós-moderna’. E, não sem surpresa, alguns acabam concluindo que é só com ‘mitadas’ que se combate as ‘lacradas’.”

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.