fbpx
PUBLICIDADE

‘O mercado de criptomoedas segue em frente sem problemas’, prevê Ulrich

Economista-chefe da XP Investimentos no ramo de criptomoedas e autor do livro "Bitcoin - A Economia na Era Digital", do IMB, comentou sobre o recente comunicado da CVM contra a moeda em fundos
Foto: Fotolia
Foto: Fotolia

A Comissão de Valores Mobiliários proibiu nesta sexta-feira (13) que fundos brasileiros de investimento apliquem dinheiro em moedas criptografadas, como o Bitcoin. Para o economista Fernando Ulrich, autor de Bitcoin – A Moeda na Era Digital (Instituto Mises Brasil), no entanto, “o mercado de criptomoedas segue em frente sem problemas”. [1]

De acordo com o economista, em publicação em seu perfil no Facebook, “não há nenhuma novidade” no comunicado da CVM: “A autarquia apenas ratificou uma posição já amplamente conhecida”.

Outro ponto trazido pelo especialista, também economista-chefe de criptomoedas da XP Investimentos, é que as moedas digitais já não eram consideradas ativos financeiros desde 2014. E citou como exemplo o ocorrido com os fundos de investimento em imóveis, que “não eram regulados pela CVM” até 1994:





“Ativos imobiliários não tiveram sua essência ou utilidade alteradas depois da regulação. Eram plenamente lícitos e úteis antes e depois dos FIIs”, observou, pontuando ao fim que considerou “o tom do comunicado [da CVM] muito positivo”.





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama