SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     TWITTER     YOUTUBE



Pré-candidato à presidência, Álvaro Dias defende privatizações com ressalvas

Em entrevista ao jornal ‘Gazeta do Povo’, o senador Álvaro Dias (Podemos) comentou sobre possíveis ideias para um governo: entre elas, uma ampla reforma tributária que resultaria em um “imposto quase único”

- Publicado no dia
Foto: Wenderson Araujo/Gazeta do Povo

O senador Álvaro Dias (Podemos) concedeu na última quarta-feira (27) ao jornal Gazeta do Povo uma entrevista sobre seu projeto de lançar-se candidato à presidência em 2018. Defendendo uma ampla reforma no estado, o parlamentar considerou-se de “centro” e defendeu privatizações de estatais, com exceção daquelas que considera “estratégicas”, caso principalmente da Petrobrás. [1]

Perguntado sobre a distribuição de cargos no governo para garantir governabilidade, Dias afirmou que é possível nomear por meio de critérios técnicos e não políticos, contanto que haja apoio na sociedade. E garantiu que já fez isso em sua experiência administrativa como governador do Paraná.  “Com o apoio da sociedade, você terá o apoio do Congresso. Porque o Congresso não rema contra a maré”, defendeu.


PUBLICIDADE



Acreditando ser necessário que o novo presidente faça uma grande reforma logo no início do mandato, o senador comentou que, caso eleito, pretende se debruçar diante em uma grande reforma tributária. “Tem de haver um imposto quase único”, comentou ao jornalista Fernando Martins, da Gazeta.

“A ideia é tributar menos o consumo e mais a renda. No caso, se estabeleceria o imposto sobre movimentações financeiras, que estabelece a impossibilidade de sonegação. E esse imposto quase único abarcaria quase todos os tributos existentes”, explicou, complementando que a população pagaria menos e o Imposto de Renda recairia a quem ganha mais.

Sobre privatizações, Dias falou que “quase todas as estatais” devem privatizadas, mas para a Petrobrás a solução deveria ser “qualificar tecnicamente”. “Desonestidade na administração pública não é regra”, comentou.


PUBLICIDADE



Com um discurso que lembra o também pré-candidato Jair Bolsonaro, Dias denunciou que nada valeria uma privatização da Petrobras para alguma outra estatal. “Se for privatizada, [a Petrobras] continuará estatal com outro idioma. Porque certamente uma estatal chinesa ou norueguesa vai comprar. Em vez de gerar recursos para o país, vai gerar para outra nação”, opinou.

Leia também:  PSL-MG declara neutralidade no segundo turno entre NOVO e PSDB

Quanto as projeções para as eleições de 2018, o senador Álvaro Dias – que militou durante muito tempo nas fileiras do PSDB, que considera como um “partido paulista” – apontou que “uma bipolarização entre a extrema esquerda e a extrema direita” pode ser “extremamente nociva para o país”. Para ele, Lula representaria uma “extrema esquerda organizada em função dos últimos anos de aparelhamento do estado” e Bolsonaro seria o representante de uma “extrema-direita desorganizada, mas ativa, principalmente nas redes sociais”.

+ CURSO SEGREDOS DO BITCOIN 2.0: Treinamento para iniciar no mercado de criptomoedas
+ CURSO PARA CRIAR SEU NEGÓCIO ONLINE. Siga o passo a passo para em 30 dias começar a faturar.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também