fbpx
PUBLICIDADE

Eduardo Bolsonaro diz que Previdência não é deficitária e Amoêdo responde

Bate-boca ocorreu no Twitter ao longo deste domingo (3) e talvez tenha sido o primeiro embate entre as duas principais pré-candidaturas presidenciais que disputam o eleitorado liberal
Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC/SP), um dos principais cabos eleitorais do pai, Jair Bolsonaro, pré-candidato à presidência da república, deu uma declaração na tarde deste domingo (3) que gerou reações até do também presidenciável João Amoêdo (NOVO). O parlamentar afirmou que a “previdência não é deficitária”, contrariando estudos e análises de diversos especialistas.

No tweet, Eduardo Bolsonaro questionou para “onde está indo o dinheiro” da previdência e, em seguida, para confusão de muitos, associou que “governo que não reduz o tamanho do estado não tem moral para exigir sacrifícios do povo”.

Em resposta a Eduardo Bolsonaro, João Amoêdo – também no Twitter – afirmou que “o Brasil não precisa de mais populismo” e que “falar em reduzir o estado já virou consenso”. Em seguida, complementou que chegara a hora de “tomar as decisões difíceis, baseadas em fatos e dados visando sempre a sustentabilidade fiscal do país”, em uma clara referência à necessidade de reformar a previdência.





“O governo deve dar o exemplo na redução dos custos, mas a reforma da Previdência é absolutamente necessária para que não haja sacrifícios futuros. A Previdência é deficitária sim e, pior, já consome com BPC 53% do orçamento”, escreveu.

Amoêdo também questionou Eduardo Bolsonaro sobre a redução dos custos do estado, citando como exemplo o fato de os vereadores do NOVO terem reduzido inúmeros privilégios, “abrindo mão de assessores, reduzindo cotas para gráficas, acabando com privilégios como carros, motorista e gasolina”. “O que acha dessas medidas?”, perguntou Amoêdo, não obtendo até então resposta.

+ Presidente do NOVO fala em entrevista ao Boletim sobre a candidatura de Amoêdo: “A gente está mais confiante”

Ainda nesta discussão no Twitter, participou Felippe Hermes, co-fundador do Spotniks. “Nunca vi nenhum cálculo que negue que a previdência é deficitária no RPPS. Se for, temos de cortar aí. Como cortaremos este déficit?”, perguntou. RPPS é a terminologia utilizada para o Regime Próprio de Previdência Social, focado em servidores públicos, que representam a maior parte do déficit público da Previdência Social.









 

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama