fbpx
PUBLICIDADE

Aluna relata perseguição de professor após ter feito trabalho sobre MBL

Relato escrito nas redes sociais dá conta de que o professor de sociologia seria de esquerda e, no Twitter, teria debochado que os alunos seriam "orientados por Kim Kataguiri"
Manifestação em defesa do projeto "Escola Sem Partido" em Curitiba, no Paraná (Foto: Reprodução/Facebook)

Manifestação em defesa do projeto “Escola Sem Partido” em Curitiba, no Paraná (Foto: Reprodução/Facebook)

Um relato de uma estudante paranaense está circulando na internet, sendo compartilhada por páginas relevantes do movimento liberal. A aluna, aqui identificada apenas como A.C., acusa seu professor de sociologia de ter perseguido o seu grupo na escola após os alunos terem escolhido como tema o MBL.

“Meu professor de sociologia que apoia a esquerda pediu para a sala separar temas sobre movimentos sociais para uma apresentação de trabalho. Aí, eu escolhi o MBL (movimento de direita, segundo o professor). Mas no dia que eu fui apresentar o trabalho, […] o professor interrompeu [a apresentação] dizendo para parar. Falou que meu grupo não podia mais apresentar e chamou meu namorado de fascista, louco e outras ofensas”, denunciou.

Em seguida, A.C. afirmou que, ao sair da sala, o professor “falou para a classe que iria descontar nota do grupo”, subentendendo que teria sido exclusivamente por causa do tema. Nas redes sociais, A.C. perguntou aos presentes se ela deveria denunciar o caso à Secretaria de Educação, ponderando que todos os estudantes presentes poderiam ser testemunhas a seu favor. A.C. anexou também em sua publicação no Facebook uma imagem na qual publicação no Twitter, supostamente escrito pelo professor, dizia que “aguentar aluno orientado por Kim Kataguiri é fogo”.





Foto: Reprodução/Facebook




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama