fbpx
PUBLICIDADE

Jornalistas brasileiros ‘não sabem quase nada’ de política, diz Bruno Garschagen

Cientista político e autor de sucesso da Record afirmou que a imprensa brasileira não sabe quase nada sobre o significado de conceitos da área
(Foto: Reprodução / O Antagonista)
(Foto: Reprodução / O Antagonista)

O cientista político Bruno Garschagen concedeu uma entrevista especial ao jornalista Felipe Moura Brasil, no site O Antagonista, abordando os principais conceitos relacionados a posicionamentos políticos, como “liberalismo” e “conservadorismo”. Um dos principais destaques foi a crítica à média dos jornalistas brasileiros, que, segundo o autor de “Pare de acreditar no governo – Por que os brasileiros odeiam os políticos e amam o Estado”, não param de dar vexame ao comentar o assunto.

A entrevista foi ampla, passeando por diferentes temas. Garschagen abordou, por exemplo, o pensamento conservador brasileiro, particularmente durante a monarquia constitucional, mencionando a diversidade de influências teóricas dos estadistas e agentes políticos saquaremas (isto é, membros do Partido Conservador brasileiro).





Quando confrontado com uma declaração da jornalista Eliane Cantanhede, associando o conservadorismo à ascensão de Bolsonaro e ao assassinato de mulheres, porém, é que ele foi mais duro. “O problema do Jornalismo brasileiro”, ele definiu, é que os profissionais “não sabem quase nada, para ser um tanto generoso, em termos de conceitos políticos, teoria. Não sabem, e ficam reagindo a partir daquilo que leem na própria imprensa de pessoas que não sabem nada. Você tem uma reprodução de equívocos que passam a ecoar como sendo uma definição conceitual estabelecida pela teoria da filosofia política ou ciência política”. Mais grave do que isso, na opinião dele,  é  o desconhecimento do que “está acontecendo na própria sociedade brasileira”. Confira na íntegra:





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Siga o Boletim

Leia também